EPIDEMIAS - UM DOS SINAIS DO FIM


Foi o evangelista Lucas que registrou um dos sinais da Segunda Vinda de Jesus, que não é registrado nos outros evangelhos.

Em Lucas 21.10 são relatados 7 sinais:
- nação contra nação
- reino contra reino
- grandes terremotos
- epidemias
- fome
-coisas espantosas
- grandes sinais no céu

Um dos sinais exclusivos do terceiro evangelista são as epidemias; não mencionado por Mateus no Sermão Profético, este sinal tem sido marcante para o século 21.

As epidemias globais tem ressurgido mesmo em uma época de muito conhecimento científico. Desde o início do século elas não param de viralizar:
- AIDS
- SARS
- H5N1
- H1N1
- Ebola

As epidemias locais também estão se tornando uma preocupação
- Dengue
- Chikungunya
- Zika

Sem mencionar as epidemias silenciosas que infestam o país em números bem maiores que as epidemias que a mídia divulga:
- Tuberculose - 67.966 [2014]
- AIDS - 57 mil [2015]; sendo que existem 380 mil pessoas em tratamento.
- Hepatite [por ano]
               A             130.354
               B             104.454
               C             69.952
               D             1.812
               E             874
H1N1 - na Europa em Janeiro já havia matado 2.554 pessoas; no Brasil são 2.108 infectados em 2015.

É algo assustador o número de doenças e o número de pessoas infectadas.

Sinais como as epidemias não são castigos de Deus, mas uma evidência da corrupção da humanidade.

É a transgressão da Lei de Deus que dimensionam o número das epidemias e os infectados. Quanto mais se aproxima a Segunda Vinda, mais epidemias surgirão por razão do afastamento das pessoas da Vontade de Deus ou por desobediência à Sua Palavra.

O nosso Planeta é um lugar de doenças; e o deslocamento das pessoas de forma global têm dimensionado a transmissão dos agentes infecciosos.

A globalização [algo que a pós-modernidade se orgulha] é um dos fatores de espalhar doenças consideradas endêmicas, para que se tornem pandemias.

O fim de todas as coisas está muito próximo. Mas o 'fim' previsto por Jesus não é a extinção da raça humana, mas a garantia da continuidade da vida.

A Revelação afirma que a nova ordem que Deus irá estabelecer será uma realidade 'sem lágima, morte, luto, nem pranto ou dor' Ap 21.4

UM HISTÓRICO DE TERRORISMO


Talvez os europeus tenham sido o povo mais assolado pelo terrorismo na história da humanidade.     A história universal nos ajuda a entender o quanto o Antigo Continente sofreu com invasões bárbaras.

A profecia descreve essas invasões bárbaras através das cenas das Sete Trombetas; essa imagística evoca o toque das trombetas nas histórias bíblicas que anunciavam a proximidade de um exército invasor - Levítico 10.9.

Quando os guardas que ficavam sobre os muros das cidades, tocavam as trombetas de alarme, o terror se espalhava sobre a cidade. Os portões eram fechados e o cerco de guerra se iniciava; muitas vezes se estendendo por meses, surgindo a fome, sede, doenças, pestes e morte.

A profecia das Trombetas evocam essas cenas de terror; o Apocalipse as anuncia prevendo essas invasões bárbaras a fim de alertar o povo através da história.

O histórico de terror previsto na profecia alertava para os seguintes atos terroristas:

1a Trombeta - invasão dos Visigodos [Alarico] aproximadamente 400dC

2a Trombeta - invasão dos Hunos [Átila] aproximadamente 450dC

3a Trombeta - invasão dos Vândalos [Genserico] aproximadamente 455dC

4a Trombeta - invasão dos Hérulos [Odoacro] aproximadamente 476dC

5a Trombeta - invasão dos Mouros ou maometanos [Abu-Becre] a partir de 600dC

6a Trombeta - ação dos Árabes Islâmicos [Otman] a partir de 1300dC

A história de terror no Antigo Continente já dura 1600 anos, desde o 5o século a Europa sofre invasões e o terrorismo.

O Apocalipse descreve o Antigo Continente como um "abismo" [11.7] ou como as águas turbulentas do "mar" [13.1]; é dali que surgem os dois primeiros poderes ou 'bestas' na imagística apocalíptica.

A Revelação afirma - "as águas que viste... são povos, multidões, nações e línguas" [17.15] ou as nações do Antigo Continente. O terceiro poder do mal, travestido em uma sedutora mulher prostituída, surge dessas "águas" turbulentas - "a grande meretriz que se acha [entronizada] sobre muitas águas" [17.1].

O quarto poder [a Grande Cidade de Babilônia - 18.2] surge das águas revoltosas [as nações do Antigo Continente] - "a besta que viste, que era e não é, esta para emergir do abismo" [17.8].

Esses poderes [Besta do Abismo (11.7); Besta do Mar (13.1); Besta da Terra (13.11); a Grande Meretriz (17.2); e a Grande Cidade Babilônia (18.2)] são combatidos por Yahweh através das invasões bárbaras e do terror.

Foram as quatro primeiras invasões bárbaras que destruíram o 'Animal Terrível e Espantoso' [Daniel 7.7] que representava o Império Romano Ocidental e Oriental.

Mas no meio desta guerra de poderes estão as pessoas; a população que é usada como massa de manobra pelos poderes do mal.

Daí o apelo Divino no Apocalipse - "Retirai-vos dela povo Meu, para não serdes cúmplices dos seus pecados e para não serdes participantes nos seus flagelos" [18.4].

Esse é um chamado para os humanos se separarem dos pecados do Antigo Continente; a Europa precisa de conversão para não sofrer o mesmo castigo da sua liderança corrupta.

Os atos terroristas do Estado Islâmico são uma extensão da 6a Trombeta ou da ação desta que ainda perdura desde o século 14. E isto para que se enfraqueça os poderes das 'bestas, da Meretriz e de Babilônia'.

O poder opressor do ateísmo, espiritismo e do catolicismo romano pagão está sendo enfraquecido para que a 7a Trombeta afinal seja 'tocada' e os eventos de libertação da raça humana se concluam.

A última trombeta é descrita em 1 Tessalonicensses 4.16 e descreve a Segunda Vinda de Jesus:
"O Senhor Jesus, dará Sua palavra de ordem, será ouvida a voz do Arcanjo, e ressoada a Trombeta de Deus [7a trombeta]".

TERROR NA EUROPA – Parte 1


Londres, Barcelona, Paris e Belgica são os mais recentes alvos do terrorismo do Estado Islâmico na Europa. Mas isso não é algo novo para o Velho Continente, pois a Europa já foi alvo do terrorismo das tribos bárbaras desde o 5º século.

A primeira onda terrorista do mundo ocidental foi comandada por Alarico, rei dos Visigodos aproximadamente no ano 400dC.  Essa tribo nórdica não “poupou os primores artísticos nem as roupas menos luxuosas dos ricos europeus. No longo comboio de carros que acompanhava o exército godo, acumulavam-se o ouro, pedras preciosas, mesas de prata, tapetes e túnicas de seda.

O exército dos bárbaros derrubou estátuas admiráveis, quebrou vasos magníficos, porque seu objetivo era apenas descobrir tesouros e desprezavam as artes. As chamas fizeram desabar muitos palácios, e foram degolados homens e outros mais ainda reduzidos a escravidão, com exceção dos que puderam ser resgatados com alto preço por parentes ou pela caridade religiosa.

Moças virgens e nobres matronas recorreriam ao suicídio para escapar aos estupros. Ao cabo de seis dias, os godos evacuaram a cidade de Roma e dirigiram-se pela Via Apia para a Itália meridional, saqueando e sub-metendo um país que lhe oferecia tudo quanto pode seduzir a um conquistador, sem apresentar resistência.

Numerosos italianos se haviam refugiado nas terras mais distantes, uns nas ilhas ou na África, outros no Egito, em Constantinopla em Betleém, e os que tinham conseguido salvar alguma coisa à assolação, socorriam os outros.

Alguns destes exilados foram acolhidos por Crisóstomo [pai da igreja antiga] que os consolou condoendo-se de tantas misérias; ele julgava ver o cumprimento das profecias e julgava que o fim do mundo estava próximo, pois que sucumbia Babilônia [Roma] a grande prostituta do Apocalipse.

O acampamento dos bárbaros visigodos estava cheio de cidadãos e matronas ilustres, agora escravos e miseráveis, que se viam obrigados a servir o vinho das terras que já lhes não pertenciam à grosseira gente do norte à sombra dos plátanos e loureiros dos jardins de Cícero e de Lúculo; os bárbaros desfrutavam as delícias do formoso céu da Itália, prontos para novos combates e novas carnificinas” Mello, 1959.

[As cenas são proféticas; tanto as cenas que vemos hoje [22.03.16] como as que lemos nos livros de história.

A solução para nós é entendermos o significado que a profecia nos dá para estes eventos. Pois como o profeta já disse: "Há um Deus no céu , o qual revela os mistérios" Daniel 2.28pp.

TERROR NA EUROPA – Parte 2


O que o Estado Islâmico impõem a Europa, não pode ser comparado aos terrores que esse continente, e principalmente a sede do império, Roma, enfrentaram com as tribos bárbaras. Mas ambas são revoltantes como atos terroristas.

"Em 15 de junho de 455dC, o rei Genserico dos Vândalos, o ‘açoite de Deus, estava às portas de Roma, e a cidade sem força para o combate, gemia e suplicava. A tradição afirma que o papa,  saíra ao encontro de Atila, foi em procissão com o clero ao acampamento dos vândalos, e obteve do rei concessões humanitárias.

Mas, não obstante, a cidade foi posta a saque durante quatorze dias, as riquezas que tinham escapado a Alarico os Vândalos arrastaram. O templo de Júpiter, o Capitolino, monumento de patriotismo, ficaram sem o seu teto de bronze, dourado; mas foram poupadas a estátuas dos deuses e heróis.

Tito depositara no templo preciosas peças do culto hebraico, a mesa de ouro, o candelabro também de ouro de sete braços; tudo isto caiu nas mãos dos bárbaros. As igrejas cristãs foram igualmente saqueadas e o papa Leão mandou fundir seis vasos de prata dados por Constantino dois séculos antes, para pagar os bárbaros.


Os palácios foram saqueados com extraordinária rapidez; e da própria Eudócia lhe roubaram jóias que usava e foi tomada com duas filhas e levadas para dentro dos navios, com milhares de escravos escolhidos pela beleza ou força” Mello, 1959 

Os terrores do 5o século parecem retornar sobre uma Europa que se esqueceu do seu passado; é preciso refletir sobre o passado, para se viver com segurança no futuro.

Os erros do imperio romano o levaram à queda, e o mesmo se dará com o império formado pela Europa. Esse continente se uniu em torno de uma moeda, o Euro, e se fez frágil como o barro - Daniel 2.34up.

Se você conhece a profecia de Daniel 2 - a estátua do sonho de Nabucodonosor - você conhece o fim dos pés da estátua, formada de 'ferro e barro'.

O colapso da Europa é iminente; a profecia já anunciou isso a 2300 anos atrás.

TERROR NA EUROPA – Parte 3


Os reis bárbaros eram ‘o açoite de Deus’, e o Apocalipse retrata essas cenas na profecia das 3 primeiras trombetas. Mas o terror ainda assolaria a Europa através de Átila, rei dos hunos.

"Átila seria um mito, um símbolo de imensa destruição, se não falassem dele tantos escritores e não o tivesse visto o historiador Priscus. 

No princípio do seu reinado atemorizou Teodosius, que lhe comprou uma paz vergonhosa por setecentas libras de ouro cada ano; o imperador concedeu também ao bárbaro licença para comerciar livremente nas margens do Danúbio e prometeu-lhe a restituição de todos os seus vassalos refugiados nas províncias imperiais: quando os recebeu (e alguns deles eram de raça real), mandou os crucificar a todos.

Depois de ter humilhado o império, que ficou à sua mercê, na necessidade de obedecer a todos os seus caprichos, declarou guerra aos bárbaros de diversas origens estabeleci dos ou errantes no centro da Europa.

Gépidas, ostrogodos, suevos, alanos, quados, marcomanos, foram submetidos por vontade ou à força. Dilatou o seu império desde os países habitados pelos francos até aos dos escandinavos, aterrando o mundo todo.

Formavam-lhe cortejos inúmeros reis, e setecentos mil guerreiros esperavam que um sinal seu lhes indicasse a região marcada pela ‘vingança de Deus’". Mello, 1959

[Esses relatos nos ajudam a entender a história cíclica em que vivemos. O terrorismo da antiga europa foi resultado de seus pecados e foi castigada severamente, até que o império ocidental caiu. O império romano havia atingido seu limite de transgressão.

Não é diferente hoje. O Apocalipse explica os flagelos afirmando - "não se arrependeram dos seus homicidios, nem das suas feitiçarias, nem da sua prostituição, nem dos seus furtos" Ap 9.21. A Europa Antiga estava colhendo os resultados de suas próprias ações. 'Quem espalha vento, recebe tempestades'.

Quando a humanidade se afasta de Deus, ela se aproxima das forças destruidoras do mal. “Porque o Diabo desceu a vós com grande ira, sabendo que pouco tempo lhe resta” Ap 12.12up.]

PRESSÁGIOS DE UMA PROFECIA


Caiu! Caiu a grande Babilônia! Ela se tornou habitação de demônios e antro de todo espírito imundo, antro de toda ave impura e detestável, ou maligno pois todas as nações beberam do vinho da fúria da sua prostituição. Ap 18.2 e 3

“Praça São Pedro, Vaticano. Nesse cenário carregado de história, diante de milhares de olhos expectantes, o papa Francisco fez a tradicional oração do Ângelus. 

Então, dando sequência a um ritual cheio de simbolismo, crianças que o ladeavam na janela do Palácio Apostólico soltaram duas pombas brancas, representando a paz. Mas eis que o inesperado acontece. 

Em mergulhos separados, uma gaivota e um grande corvo negro atacaram as aves indefesas. As penas voaram pela praça. As pombas tentaram escapar, mas a perseguição continuou. Não ficou claro o que aconteceu com elas. Um fotógrafo da agência Reuters flagrou o ataque, e as imagens voaram pelas redes sociais.

Não foi a primeira vez que pombas da paz sofreram ameaças de guerra. Em 2013, uma gaivota já havia atacado uma pomba libertada pelo papa Bento XVI. Além disso, na última vez que o papa João Paulo II soltou uma pomba, no dia 30 de janeiro de 2005, ela sondou o ambiente hostil, preferiu não encarar o ar gelado e voou de volta para dentro da janela” Fonte: MM, 2016; CPB

As profecias se cumprem na complexidade de relatos históricos mas também na simplicidade de fatos para que o povo comum entenda.

A ‘pomba’ nos evangelhos simboliza o Espírito de Deus [Mt3.16up]; as aves impuras simbolizam os ‘espíritos’ de demônios. O Espírito Santo não está no Vaticano; Satanás tem o Seu trono ali [Ap2.13].

Após a profecia oferecer essa imagística das aves imundas de Babilônia, é dito que ela “Caiu!Caiu”. É tempo de entendermos que logo o Senhor Jesus voltará para buscar os escolhidos que saem [Ap .18.4] da Grande Cidade dos demônios.

O profeta ouve um convite feito por uma voz celestial: “Retirai-vos dela povo meu”. Esse é um convite do Espírito Santo, do próprio Deus, ao Seu povo que está na Babilônia Mística, a Grande Meretriz.
Bilhões de crentes católicos um dia sairão; porque permanecer ainda? É tempo de sair agora.

ALIADOS POR UMA PROFECIA


Estados Unidos e Vaticano protagonizam a profecia Apocalíptica; as duas bestas [ou animais] vistos na profecia de Apocalipse 13 representam dois governos.

Da Segunda Besta [EUA] é dito que – “Exercia toda a autoridade da primeira besta [Vaticano], em nome dela, e fazia a terra e seus habitantes adorarem a primeira besta [Vaticano]” Apocalipse 13.12
Essa aliança e cooperação entre esses dois governos podem estar sendo projetados na próxima eleição americana.

“Os Estados Unidos têm interesse em ser um aliado do Vaticano, de acordo com documentos revelados pelo site WikiLeaks e antecipados nesta quinta-feira [03.03.16] pela revista italiana L'Espresso. 

Segundo os documentos, a secretária de Estado americana Hillary Clinton teria orientado os embaixadores e diplomatas do país a criarem uma página na Internet para acompanhar as novidades do governo pontifício. "O Vaticano pode ser uma potência aliada ou um inimigo ocasional. Devemos fazê-lo ver que a nossa política pode ajudá-lo a avançar em muitos princípios", orientou o Departamento de Estado.

Os relatórios, que serão publicados na sexta-feira pela revista, informam que os Estados Unidos consideram o Vaticano um modelo a ser estudado com atenção. "Trata-se de uma armada impressionante: 400 mil sacerdotes, 750 madres, cinco mil monges e frades, relações diplomáticas com 177 países, três milhões de escolas, cinco mil hospitais, braço operativo da Caritas com 165 mil voluntários e dependentes que prestam assistência a 24 milhões de pessoas", afirmam os documentos.

O Departamento de Estado americano ainda apontou que a relação do país com o governo pontifício deve ser construída com cuidado. "Tudo depende da relação que possamos construir: devemos trabalhar juntos quando as nossas posições são complementares, assegurando que a nossa linha seja compreendida quando são divergentes", dizem os textos.” Fonte: Revista Veja

Os ‘princípios’ do Vaticano que talvez os EUA procuram fazer avançar podem ser:
1.       A figura de Mario Bergólio como líder moral do planeta
2.       A religião ocidental como opositora a religião do Islã e extremistas
3.       Promover a Paz Mundial
4.       Ajudar nas questões do Meio Ambiente
5.       Fundamentar valores como: vida [contra o aborto]; paz [contra a guerra] e o descanso semanal [domingo].

Várias expressões no texto do Apocalipse nos ajudam a enxergar essa Aliança entre Vaticano e Casa Branca ou a ‘besta que sobe do mar’ e a ‘besta que sobe da terra’:
v.12 “exercia toda a autoridade da primeira besta”
v.13 “fazia os habitantes adorarem a primeira besta”
v.14 “fazia sinais... em nome da primeira besta”
v.14up “Ordenou-lhes que fizessem uma imagem em honra a besta”
v.15 “dar fôlego à imagem da primeira besta”
v.16 “obrigou todos... que tivessem a marca da besta”


O poder mais popular da atualidade [o papado] é a maior ameaça da história da humanidade.