ECUMENISMO - CADA VEZ MAIS EVIDENTE

video
Yona Metzger, rabino de Israel, acredita que a comunidade internacional deveria criar uma instituição ecumênica para dissipar as tensões entre as religiões e com isso deslegitimar todos os que dizem matar em nome de Deus.

O quadro profético cada vez mais ganha seus traços e cores que definem como será o panorama final da história desse mundo.

A força política da ONU, talvez seja o braço de força que faltava para as religiões se unirem em um só propósito.

O Ecumenismo é temido, por alguns, por tirar das instituições religiosas sua identidade. Apesar de adorarmos o mesmo Deus(cristianismo, judaísmo e islamismo) nem todos partilham das mesmas crenças quanto a esse Deus.

Um movimento ecumênico pode descaracterizar a fé e causar a perda da identidade das instituições que gravitam em torno, principalmente, do cristiansimo.

O mais antigo movimento ecumênico foi a Torre de Babel, que se uniu para acabar com a ameaça de um dilúvio ou destruição da raça humana.

É interessante que novamente os homens buscam um esforço comum para preservar sua raça.

A história se repete...

1844 - COMEMORANDO O EVENTO CORRETO

O que aconteceu realmente em 22 de Outubro de 1844?
Há duas formas de se olhar o que ocorreu nesta data. A primeira da perspectiva de um Millerita. A segunda forma da perspectiva de um adventista.
O movimento Milerita, liderado pelo pregador batista, Guilherme Miller pregou durante 13 anos que nesta data ocorreria a Segunda Vinda de Jesus e a purificação desta terra.
Miller impulsionado pelo segundo reavivamento norte-americano e pelo despertar da ciência no século 18 (pois um século antes a ciência em todas as suas áreas se despertou, incluindo a arqueologia trazendo valiosas contribuições para o texto bíblico) compreendeu as profecias de Daniel 07 e especialmente o capítulo 08 verso 14 – “Daniel 8:14  Ele me disse: Até duas mil e trezentas tardes e manhãs; e o santuário será purificado”.
Miller entendeu que havia aqui um período profético que se estendia até o ‘Tempo do Fim’ (Daniel 12:9).
Em sua investigação encontrou a chave para a compreensão do período profético – “Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém, até ao Ungido, ao Príncipe, sete semanas e sessenta e duas semanas; as praças e as circunvalações se reedificarão, mas em tempos angustiosos” Daniel 9:25.
Essa frase é do Anjo enviado a Daniel para explicar a visão das ‘tardes e manhãs’. E o seu início era com o início da “ordem para restaurar e edificar Jerusalém”. A arqueologia já havia trazido a compreensão três datas, sendo a última no ano de 457 aC.
Os cálculos de Miller não foram difíceis. Ele retirou do período de 2300 os 457 anos que antecediam a nossa era e... os dígitos de 1843 surgiram colocando a purificação do santuário para uma década a sua frente.
Miller e todo o mundo acadêmico da época compreendia que o santuário era a terra. Jesus viria (pensavam) para purificar a terra. Daí o grande desapontamento que o Movimento Milerita sofreu, por sua má interpretação do texto bíblico.
Mas em outubro de 1844 na compreensão adventista não ocorreria a Segunda Vinda. A data é esta mas o evento é outro.
Muitos crentes que participavam do Movimento Milerita resolveram com oração e estudo rever os cálculos de Miller. E compreenderam que o Santuário Celestial era o centro desta profecia. Jesus em seu ministério celestial estava purificando a este.
Paulo já havia concluído parte desta compreensão –“Ora, o essencial das coisas que temos dito é que
possuímos tal sumo sacerdote, que se assentou à destra do trono da Majestade nos céus, como ministro do
santuário e do verdadeiro tabernáculo que o Senhor erigiu, não o homem” Hebreus 8:1 e 2.

Há duas formas de enxergar o que ocorreu a 166 anos atrás.

A primeira é da perspectiva dos Mileritas – um grande desapontamento.
A segunda é da perspectiva dos adventistas – um juízo no Santuário Celestial.

Não comemore o evento errado...

ECUMENISMO NA UNIÃO EUROPEÍA

BRUXELAS, quarta-feira, 6 de outubro de 2010 – O Parlamento Europeu se reuniu e realizou um relatório que é resultado de um acordo entre as principais entidades cristãs do continente para se unir na luta contra a pobreza.

O texto contém 14 recomendações políticas dirigidas à União Europeia, com a finalidade de reduzir radicalmente a pobreza na Europa. Foi apresentado durante uma conferência convocada pelo presidente do Parlamento Europeu, Jerzy Buzek, que contou com 150 participantes.

A primeira recomendação é implementar "uma nova cláusula social no Tratado da União Europeia” com a finalidade de “garantir as condições necessárias a cada ser humano para que possa viver harmoniosamente com sua dignidade humana”.

Recomendam proteger o domingo como um dia coletivo de descanso para a sociedade, com a finalidade de proteger a saúde dos trabalhadores e como uma premissa para uma sociedade mais participativa.
Em sua segunda proposta, os líderes cristãos sugerem que o presidente do Conselho Europeu reflita em seus relatórios sobre a aplicação da cláusula social.

Propõe também que a Agência da União Europeia para os Direitos Fundamentais centre seu programa de trabalho em aspectos relacionados com o capítulo IV (Solidariedade) da Carta de Direitos Fundamentais da UE.

Outras recomendações referem-se ao desenvolvimento de um sistema de salário mínimo de sobrevivência para todos, adotação de uma visão de longo prazo para enfrentar o problema das pessoas sem teto, promoção de um consumo alternativo baseado na moderação e na generosidade.

As Igrejas e entidades caritativas destacam a necessidade de apoiar as famílias em risco de pobreza, especialmente aquelas que têm três ou mais filhos.

A futura Plataforma Europeia contra a pobreza – destacam os líderes cristãos – deveria envolver ativamente representantes da sociedade civil e das Igrejas, incluindo os provedores confessionais de serviços.
A última sugestão propõe investir na proteção de quem vive na pobreza com o objetivo de reduzir seu número
.
[É interessante notar como a União Européia está ativa nos interesses do Vaticano e do Ecumenismo. A Besta de 7 Cabeças e 10 Chifres de Apocalipse 17 na qual a Meretriz está assentada, é aceita como sendo a Europa unida. Mais uma vez a profecia se cumpre.

Os temas pelos quais o movimento é feito jamais poderiam ser imaginados a 10 anos atrás.O Vaticano se utiliza de plataformas políticas como o combate a pobreza, dignidade e direitos humanos. Parece não haver outro meio mais eficaz para unir os cristãos.]