POR QUÊ QUEREM MATAR O PAPA?

A polícia britânica prendeu nesta sexta-feira (17/09/10) cinco pessoas em Londres sob a suspeita de tramar um "ato de terrorismo" relacionado com a visita do papa Bento XVI, que em seu segundo dia no Reino Unido deve tentar estreitar os laços com a Igreja Anglicana.
Os cinco homens com idades entre 26 e 50 anos foram detidos pouco antes das 6h00 (2h00 de Brasília) no centro de Londres sob a suspeita de planejar, preparar ou instigar atos de terrorismo.


A Scotland Yard informou que após as detenções, os dispositivos de segurança para a visita do Papa foram revisados e "continuam sendo apropriados" e que o itinerário não foi modificado.


Bento XVI está tranquilo e confia na polícia, declarou pouco depois o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, para quem "a situação não é particularmente perigosa".


Os detidos estão sendo interrogados. Segundo o conselho municipal de Westminster, são garis que trabalham para uma empresa de limpeza privada. O canal de televisão Sky informou que os suspeitos são argelinos.


A Scotland Yard não explicou no que consistia a ameaça, nem tampouco se estava diretamente dirigida contra o pontífice, que tem muitos atos civis e políticos programados na Inglaterra até domingo, incluindo duas cerimônias que devem atrair milhares de pessoas. (Reuters)

Os muçulmanos tem razões óbvias para querer matar o líder do cristianismo (leia-se catolicismo). Para muçulmanos os cristãos são hereges.

No entanto há muito mais atrás da figura do líder católico - papado. As profecias bíblicas sob a ótica do protestantismo enxergam na figura do papa o próprio anticristo. Ou mais tecnicamente, aquele que tem o "espírito do anticristo".

Dentro da profecia bíblica, vários elementos identificam o líder católico como aquele que opera como o anticristo:
1. Seu Título - pontífice - construtor de pontes; ou vigário - substituto. A pretensão do papado em estar no lugar de Jesus aqui na terra e na igreja é uma heresia para os protestantes.

2. Sua prerrogativa - infalibilidade. O papado tem a prerrogativa de ser infalível em seus dogmas.

3. Sua pretensão de perdoar os pecados. O fato de padres e papas assumirem a autoridade de perdoar pecados é outra heresia. A Bíblia afirma que esse poder só Deus possui.

4. Suas doutrinas - ao longo dos séculos as doutrinas e tradições criadas pelos papas criaram um distanciamento do cristiansimo. O catolicismo é de longe um cristiansimo modificado.

5. Sua autoridade pretensa - diante destas prerrogativas, o papado julga-se como autoridade cristã. A única religião (catolicismo) que detém a salvação e as chaves da Vida Eterna.

6. A história da ICAR - o passado do catolicismo na idade média é assustador. A aversão dos cientistas e pensadores do mundo pós-moderno à igreja e a Bíblia, é devido ao que o catolicismo fez com ambas as situações - fez da religião um instrumento de tortura e da Bíblia um instrumento contra a ciência.

Por estes motivos e outros (muitos outros) o papa sofre com o ódio de muçulmanos e aversão dos protestantes.

Por este motivo alguns querem matar o papa.

Os protestantes deixam isso nas mãos de Deus."O diabo, o sedutor deles, foi lançado para dentro do lago de fogo e enxofre, onde já se encontram não só a besta como também o falso profeta; e serão atormentados de dia e de noite, pelos séculos dos séculos" Apocalipse 20:10.

HIROSHIMA E NAGASAKI - CUMPRIMENTO DE UMA PROFECIA?

Em 6 e 9 de Agosto de 1945 os EUA atacaram o Japão com duas bombas nucleares e literalmente pulverizou as duas cidades matando mais de 200 mil japoneses.


Algumas pessoas vêem esse episódio como o cumprimento de uma profecia apocalíptica.

Apocalipse 13:11-13 Vi ainda outra besta emergir da terra (...) Faz com que a terra e os seus habitantes adorem a primeira besta, cuja ferida mortal fora curada. Também opera grandes sinais, de maneira que até fogo do céu faz descer à terra, diante dos homens.

O método Bíblico-histórico de interpretação aponta a Segunda Besta (animal) como sendo os EUA e daí o fato de alguns entenderem que também esse aspecto de que “fogo do céu faz descer à terra” seja realmente o evento da Segunda Guerra mundial.

Como já foi dito, o método de interpretação das profecias da Bíblia deve ser Bíblico-histórico. Este é o primeiro princípio de interpretação:

1. As profecias apontam para eventos na história do planeta – a profecia assim revela o futuro da história humana.

Sendo assim onde na Bíblia há fogo descendo do céu?

No episódio de Elias e os sacerdotes de Baal, ali está o protótipo da profecia para o simbolismo do Apocalipse. Uma falsa adoração foi promovida ali no Monte Carmelo pelos 450 sacerdotes de Baal (1 Reis 18:19) e Elias fez descer fogo do céu para mostrar onde estava o Deus Verdadeiro.

Aqui está o centro da profecia de Apocalipse 13; o substrato profético é sobre adoração verdadeira. Os símbolos do Apocalipse são todos emprestados do Antigo Testamento. Daí o princípio fundamental para as profecias:

2. A Bíblia responde a si mesma – ou seja, ela mesma oferece os símbolos (substato e cenário para as profecias) e a resposta destes.

Hiroshima e Nagasaki bem poderiam servir como evento elucidativo para a profecia, mas não é este o caso.

A chave é o evento do Carmelo onde a falsa adoração é contrastada com a verdadeira adoração.

Só que nos Últimos Dias não é Deus que faz descer fogo do céu, e sim a Segunda Besta.

Por isso é dito que ela “Seduz os que habitam sobre a terra por causa dos sinais que lhe foi dado executar diante da besta, dizendo aos que habitam sobre a terra que façam uma imagem à besta, àquela que, ferida à espada, sobreviveu; e lhe foi dado comunicar fôlego à imagem da besta, para que não só a imagem falasse, como ainda fizesse morrer quantos não ADORASSEM a imagem da besta”. Apocalipse 13:14 e15.

A ênfase da profecia apocalíptica é a adoração. Os EUA promoverão um falso reavivamento, sinais prodigiosos de fogo (símbolo do Espírito Santo) e assim levará a humanidade a uma grande apostasia.

Os movimentos carismáticos e pentecostais tem na América suas origens.

Eis a aí o quadro profético esboçado.

A pergunta de Elias ainda ecoa em nosso Novo Século – “Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o SENHOR é Deus, segui-o; se é Baal, segui-o” 1 Reis 18:21.

Em que o Israel Espiritual está dividido? Na adoração:

1. Falso reavivamento e os Mandamentos de Deus (obediência)
2. O Domingo e o Sábado (Adoração)_
3. Dons Carismáticos e a verdadeira atuação do Espírito Santo (Reavivamento);
4. Falsa Igreja e a Verdadeira Igreja de Cristo (Identidade).

Eis os grandes divisores do Povo de Deus.

Elias ao ser questionado que era o “pertubador de Israel” , afirmou – “Eu não tenho perturbado a Israel, mas tu e a casa de teu pai, porque deixastes os MANDAMENTOS do SENHOR e seguistes os baalins” 1Reis 18:18.

Os mandamentos de Deus estão no centro de toda discussão teológica dos cristãos protestantes.

Somos ou não requeridos de obedecer a Deus através dos seus mandamentos?

É o sábado o dia que Deus santificou (separou) para adoração a Jesus?

O Espírito Santo se manifesta através de Sinais e Maravilhas ou através do “convencer dos pecados” João 16:8.

Quais as características da igreja verdadeira? – “Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus” Apocalipse 14:12 .

Seria muito excitante encaixarmos o evento da Segunda Guerra Mundial na profecia bíblica; concordo que é quase perfeita a analogia dos fatos.

Mas não é assim que a profecia bíblica sobrepõem-se à história humana. A profecia tem suas próprias fontes – o Antigo Testamento. É dali que saem todos os simbolismos, respostas e aplicações espirituais.

“Toda palavra de Deus é pura; ele é escudo para os que nele confiam”. Provérbios 30:5

12 EVENTOS QUE MUDARÃO TUDO


Os Doze Eventos que Mudarão Tudo seriam naturais ou provocados pelo homem, e poderiam ocorrer a qualquer momento, transformando completamente a sociedade.

De acordo com Revista Scientific American edição de Julho, os eventos são os seguintes:

1- Aumento do volume dos oceanos
2- LHC (colisor de partículas)
3- Vida alienígena
4- Guerra nuclear
5- Criação da vida artificial
6- Supercondutores
7- Máquinas inteligentes
8- Clonagem humana
9- Terremotos no pacífico
10- Energia nuclear
11- Colisão por asteróides
12- Pandemias

Mas nenhum destes eventos por mais incríveis que possam parecer e iminentes a ocorrer, poderão determinar alguma mudança na ordem das coisas deste planeta.

Há um só evento que poderá influenciar catastroficamente e de maneira definitiva a ordem das coisas – a Segunda Vinda de Jesus.

As Sagradas Escrituras afirmam: “Virá, entretanto, como ladrão, o Dia do Senhor, no qual os céus passarão com estrepitoso estrondo, e os elementos se desfarão abrasados; também a terra e as obras que nela existem serão atingidas. Visto que todas essas coisas hão de ser assim desfeitas, deveis ser tais como os que vivem em santo procedimento e piedade, esperando e apressando a vinda do Dia de Deus, por
causa do qual os céus, incendiados, serão desfeitos, e os elementos abrasados se derreterão. Nós, porém, segundo a sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, nos quais habita justiça” 1 Pedro 3:10-13.

O que a Segunda Vinda de Jesus irá determinar no planeta?

De acordo com as Sagradas Escrituras os 12 eventos que mudarão tudo serão os seguintes:

1. Epidemia Mundial – Ap 16:2
2. Colapso da vida nos oceanos – Ap 16:3
3. Colapso da vida nos rios – Ap 16:4
4. Aumento da temperatura do sol – Ap 16:8
5. Tirania religiosa – Ap 16:12
6. Eventos espirituais sobrenaturais – Ap 16:12-14
7. Terremoto mundial – Ap 16:18
8. Maremoto mundial – Ap 16:20
9. Colisão por Asteróides – Ap 16:21
10. Segunda Vinda de Jesus – 19:11-16
11. Ressurreição dos mortos – Ap 20:6
12. Arrebatamento dos crentes – 1 Ts 4:16 e17

A Scientific American acertou em uma coisa – algo realmente vai acontecer.

EXCLUSIVISMO JUDAICO CONTAMINA A ICAR

“O Vaticano divulgou (16/07/07) um documento que define a Igreja Católica como a única igreja de Cristo. O texto da Congregação para a Doutrina da Fé, responsável por promover e tutelar a doutrina da fé e a moral no mundo católico, deve esclarecer uma frase do documento Iumem Gentium ("A luz das nações", sobre a missão universal da Igreja), do Concílio Vaticano 2º, dizendo que a única Igreja de Cristo "subsiste" na Igreja Católica”. [BBC]

A exemplo de Israel e dos Judeus no passado que foram escolhidos para proclamar a mensagem de salvação ao mundo, a ICAR assume também exclusividade, porem ignorando que o seu tempo de graça e legado passou. Assim como o antigo Israel e depois os Judeus pós exílio, a ICAR se afastou da pureza do evangelho e nega tecnicamente a Jesus. Os seus dogmas de intercessão através de Maria, confissão auricular e outras invencionices excluem por completo a ICAR como detentora das Boas Novas de Salvação.

“Andrea Tornielli, vaticanista do jornal Il Giornale, afirma que o documento desta terça-feira também deve confirmar a declaração Dominus Iesus, aprovada pelo papa João Paulo 2º em 2000, segundo a qual apenas a Igreja Católica dispõe de todos os meios de salvação”. [BBC]

É irrisório que uma igreja que distorceu e reformulou os conceitos escriturísticos de Salvação advogue dispor de todos os meios para tal. A clássica declaração de Romanos é clara em afirmar – “ Pois é Cristo quem morreu ou, antes, quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós”; e a imortalizada declaração de Pedro “E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos” Atos 4:12 .

Que arrogância a do Vaticano; que alienação teológica! Invencionice dos teólogos católicos. Perversão doutrinária do papado. Qualquer cristão protestante iletrado pode recitar tais versos ou outras dezenas que são escrituristicos, conceitos básicos de uma teologia clara, límpida porém turvada pela lama da tradição católica. São as próprias palavras de Jesus para os sepulcros caiados do Vaticanos – “  E assim invalidastes, pela vossa tradição, o mandamento de Deus” Mateus 15:6. 
 
“O objetivo da nova declaração é combater o que o papa Bento 16 considera como 'relativismo eclesiológico', segundo o qual todas as igrejas que dizem fazer parte do cristianismo têm o mesmo nível de verdade ou que cada uma delas não têm mais que uma parte desta verdade", diz o vaticanista” [BBC].

É bom lembrar os vaticanistas que Lutero não estabeleceu nenhum relativismo mas sim uma Reforma. E que se hoje há uma pluralidade de igrejas reformadas é porque a doutrina católica não satisfaz ao crivo da mente inteligente e indagadora. Basta ler e investigar a Bíblia, simples como ela o é, e os erros crassos e discrepâncias surgem de forma gritante.

A ICAR não tem fundamento escriturístico; não é Bíblica. Ela é baseada em tradição de homens.
 
“Os documentos pretendem defender, de acordo com Pace, a fortaleza da Igreja Católica e, ao mesmo tempo, afastar as modificações feitas pelo Concílio Vaticano 2º. "Os novos documentos do Vaticano são coerentes. Seguem o pensamento do papa Bento 16, sempre muito dedicado à doutrina, ao princípio da autoridade e à idéia de que fora da Igreja não há salvação", diz Pace”.

Pois bem protestantes, chegou a hora de protestar novamente. Esta na hora de como Lutero levantarmos a voz contra essa vergonhosa pretensão católica de advogar salvação, enquanto detem apenas erro, mentira e invencionice. Se eles querem seguir seu próprio destino que sigam, mas não excluam a nossa vocação religiosa como protestantes e evangélicos.

IMAGENS DE SANTOS - DOUTRINAS ANTI-BIBLICAS – Parte 1

As esculturas eram objetos proibidos por todo período bíblico; Deus jamais autorizou o uso delas. Basta dar uma olhada nos 10 mandamentos e percebemos o motivo:

Êxodo 20:4  “Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o Senhor, teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem”.

Somos tão responsáveis a não tomar o nome de Deus em vão, quanto não adorar imagens um é o 2o mandamento (imagens) o outro é o 3o mandamento (nome de Deus).

Se dissermos que o mandamento sobre o nome de Deus  não mais é válido... também anulamos o mandamento de imagens. É tão grave transgredir o mandamento de imagens quanto tomar o nome de Deus em vão.

Nem imagens de Jesus foram permitidas por deus – Êxodo 20:4 “Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus”.

Êxodo 20:4  “Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o SENHOR, teu Deus, Deus zeloso” – Deus pede para que não nos curvemos diante delas; e deus se diz ser um deus zeloso quanto a isso!
Oséias 4:12 “O meu povo consulta o seu pedaço de madeira, e a sua vara lhe dá resposta; porque um espírito de prostituição os enganou, eles, prostituindo-se, abandonaram o seu Deus.” – Deus nunca aprovou o uso das imagens!

Alguns se justificam dizendo que no antigo santuário havia imagens de anjos, bois e e outras coisas, mas não eram usadas para se curvar diante delas e nem rezar para elas. Eram obras de arte, enfeites nas cortinas e mobiliário, nenhum israelita se curvava a elas.

As imagens eram fortemente condenada pelo próprio Deus que as considerava uma ofensa.

O que faz alguns cristãos pensarem que Deus irá relevar a adoração de imagens hoje, quando Ele nunca tolerou no passado?

Não acredite em bispos, padres ou papas - acreditem em Deus.

IMAGENS DE SANTOS – DOUTRINAS ANTI-BIBLICAS – Parte 2

Os profetas eram os principais a alertar o povo no passado contra a ilusão de imagens de santos fabricadas pelo próprio homem:

Habacuque 2:19  “Ai daquele que diz à madeira: Acorda! E à pedra muda: Desperta! Pode o ídolo ensinar? Eis que está coberto de ouro e de prata, mas, no seu interior, não há fôlego nenhum.” – As imagens não podem ouvir orações ou pedidos.

Quem seria o idealizador da mentira das imagens?

Jeremias 10:14 “Todo homem se embruteceu e não tem ciência; envergonha-se todo fundidor da sua imagem de escultura; porque sua imagem fundida MENTIRA É, e não há espírito nela”.

Imagens de santos são mentiras – Quem é o pai da mentira? “... diabo ... ele foi homicida desde o princípio e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira”  João 8:44 .

As imagens não podem fazer nada. Se realizam algo é sobre o poder de satanás – 2 Ts 2:9  “segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais, e prodígios de mentira”.

Milagres das aparições são para enganar os homens e confirmar o erro das imagens.

A VENERAÇÃO A MARIA - DOUTRINAS ANTI-BIBLICAS – Parte 1

A pretensão católica de que Maria houvesse se tornado a mediadora dos homens, não encontra apoio na Bíblia: Paulo afirma que - 1 Timóteo 2:5 “Porque há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem”.

A bíblia destaca Jesus como homem. Ter uma mulher intercessora é heresia, invencionice.

 "Os mortos não louvam o Senhor, nem os que descem à região do silêncio." Sal. 115:17.  Maria não pode estar no céu por que morreu como qualquer humano; a bíblia não relata sua ascensão ou ressurreição.

"Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tão pouco terão eles recompensa, porque a sua memória jaz no esquecimento" Eclesiastes 9:5. Maria esta morta como todos os apóstolos.

"Pois na morte não há recordação do Senhor” Salmos 6:5. Não há um só registro dos apóstolos sobre Maria nas cartas apostólicas ou pastorais.

A MEDIAÇÃO DE MARIA – DOUTRINAS ANTI-BIBLICAS – Parte 2

As referências à Maria depois dos esvangelhos são raras; ela simplesmente some dos relatos.
Não há passagens recolocando Maria na teologia cristã.
A sua pretensa obra intercessória é ficção - não há indicações escriturísticas na Bíblia.

Quem seria o intercessor dos homens?

“E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis”. Maria nunca é mencionada como mediadora. O Espírito Santo é nosso mediador.

Maria não verteu sangue para ser uma mediadora – “Em quem temos a redenção pelo seu sangue (de Jesus), a remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça” Efésios 1:7 – Maria nunca poderia interceder por pessoas a serem salvas

Jesus evitava a veneração a Maria – “Uma mulher... lhe disse: Bem-aventurado o ventre que te trouxe e os peitos em que mamaste! Mas ele disse: Antes, bem-aventurados Os Que Ouvem A Palavra de Deus e a guardam.” Lucas 11:27 e 28 – as virtudes de Jesus não vieram de Maria, mas de Deus a quem devemos adoração.

 “E a Jesus, O Mediador de uma nova aliança, e ao sangue da aspersão” Hebreus 12:24 – só Jesus é nosso mediador, não há outro.

“E, por isso, é mediador de um novo testamento, para que, intervindo a morte para remissão das transgressões que havia debaixo do primeiro testamento, os chamados recebam a promessa da herança eterna” Hebreus 9:15 – só Jesus é o mediador

 “agora alcançou Ele (Jesus) ministério tanto mais excelente, quanto é mediador de um melhor concerto, que está confirmado em melhores promessas” Hebreus 8:6 – só Jesus intercede por nós. Se é pregada uma outra mediação é invencionice.

PADRES NO CELIBATO – DOUTRINAS ANTI-BIBLICAS

A Bíblia é categorica em afirmar que os Bispos deve ser casados:

I Timoteo  3:12  “Os Bispos sejam maridos de uma mulher e governem bem seus filhos e suas próprias casas.” – os bispos da igreja apostolica primitiva eram casados. a igreja do primeiro século não tinham sacerdotes celibatarios.
Bispos proibidos de casar é uma clara contraversão às escrituras. É uma doutrina anti-bíblica; heresia.

I Timoteo 4:1-3 “Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios, pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência,(v.3)  proibindo o casamento e ordenando a abstinência ...” – a doutrina de proibir casamentos é classificada como engano satânico.

Quase que profeticamente aqui, Paulo aponta a apostasia dos últimos dias indicando três características dos apóstatas:
1) falarão mentiras
2) proibirão o casamento
3) ordenam a abstinência sexual

O cristianismo que se encaixa nestas descrições, é um cristiansimo apostatado.

PAGAMENTO DE PROMESSAS – DOUTRINAS ANTI-BIBLICAS – Parte 1

 Pagar promessas para se obter cura; ou em resposta à cura, não é bíblico:
Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á. Porque aquele que pede recebe; e o que busca encontra; e, ao que bate, se abre”. Mateus 7: 8 e 9 – Jesus ensinou a pedirmos em oração as bençãos. esse trecho do sermão do monte era sobre a oração.

 “Se, vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas coisas aos vossos filhos, quanto mais vosso pai, que está nos céus, dará bens aos que lhe pedirem?” Mateus 7:11 – Jesus nunca incentivou pagamentos de promessa para receber uma benção.

João 16:24  “Até agora, nada pedistes em meu nome; pedi e recebereis, para que a vossa alegria se cumpra”. – Jesus nunca pediu esforços em troca de bênçãos.

“Então, disse Jesus ao centurião: vai, e como creste te seja feito. E, naquela mesma hora, o seu criado sarou” Mateus 8:13 – as curas de jesus eram pela fé. Jamais Jesus incentivou curas por esforço pessoal, ou por pagamentos de promessas.
 
“Os cegos se aproximaram dele; e Jesus disse-lhes: Credes vós que eu possa fazer isto? disseram-lhe eles: sim, senhor” Mateus 9:28 . – Jesus nunca curou por esforços pessoais ou por promessas de votos posteriores ao milagre.
 
“E, na mesma hora, curou muitos de enfermidades, e males, e espíritos maus; e deu vista a muitos cegos. Lucas 7:21 – Jesus nunca curou e pediu algo em troca. Seja dinheiro ou flagelamento do corpo.

‘curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça dai. Mateus 10:8 – a ordem de Jesus era fazer tudo de graça, sem nada de relicários ou peças de milagres devolvidas. Não devia haver pagamento pelo milagre.

“e foram ter com ele ao templo cegos e coxos, e curou-os. Mateus 21:14 – o templo onde jesus curou não era cheio de relicários ou ofertas pela cura.

Efésios 2:8 e 9 –“porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso não vem de vós; é dom de deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie. – o catecismo católico ensina que a salvação é conquistada por esforços.
 
“porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de deus é a vida eterna, por cristo Jesus, nosso senhor”. Romanos 6:23 –a ICAR até hoje vende a garantia da salvação até de pessoas que já morreram em pecado.

BATISMO INFANTIL - DOUTRINAS ANTI-BIBLICAS


O Batismo infantil não é uma doutrina bíblica mas uma tradição adotada por segmentos religiosos ignorando o princípio bíblico do batismo de adultos e jovens que sejam conscientes dos seus pecados.
O Evangelho descreve que “veio Jesus da Galiléia ter com João junto do Jordão, para ser batizado por ele”. Mateus 3:13 – Jesus não foi batizado quando criança, mas quando adulto. Mesmo a apresentação de Jesus no Templo aos 12 anos, o tornando um iniciado na religião judaica, isso ocorria em um estágio do indivíduo, onde havia consciência dos fatos. 

Os evangelhos descrevem o batismo como uma cerimônia que evoca o arrependimento - “apareceu João batizando no deserto e pregando o batismo de arrependimento, para remissão de pecados” marcos 1:4 >>> João não batizava bebês porque eles não tinham consciência do arrpendimento e de conceitos como o pecado.

A descrição do que ocorria ano batismo de João é que “e todo o povo que o ouviu e os publicanos, tendo sido batizados com o batismo... justificaram a Deus” lucas 7:29 >>> João batizava adultos que reagiam a mensagem que os preparava para o ritual. 
 
O batismo praticado pela igreja primitiva era o de imersão. O evangelho relata que “sendo Jesus batizado, saiu logo da água...”  Mateus 3:16 >>> Jesus foi imerso na água. Jamais é descrito a aspersão de água sobre o indíviduo, mas os vários relatos indicam as pessoas saindo da água. 

Por exemplo, o relato de uma década depois do batismo de Jesus é que o Eunuco “mandou parar o carro, e desceram ambos à água, tanto Filipe como o eunuco, e o batizou”Atos 8:38. – a igreja apostólica batizava por imersão.

O Evangelho de Marcos 1:9  descreve que “naqueles dias, que Jesus, tendo ido de Nazaré, da Galiléia, foi batizado por João, no rio Jordão”. O rio era o local dos batismos por imersão.

A simbologia também evoca a imersão, pois “sepultados com ele no batismo, nele também ressuscitastes pela fé no poder de deus” Colossenses 2:12 – o batismo cristão por imersão é uma simbologia da morte de Jesus e seu sepultamento.

Paulo em sua teologia descreve que há “um só senhor, uma só fé, um só batismo” efésios 4:5 – só existe um tipo de batismo, por imersão. A inferência de Paulo é qualitativa 9um só tipo - imersão) e não quantitativa ou que uma pessoa passe somente uma só vez pela imersão. O batismo sendo caracterizado como um concerto ou aliança, demanda que sendo ela quebrada, o pacto se torna nulo e requer um novo concerto, ou batismo.

Encontramos Paulo rebatizando um grupo de discípulos que ainda não haviam sido doutrinados no evangelho de Jesus. O motivo de Paulo aqui é que viviam em ignorância dos mandamentos de Jesus, e deviam ser rebatizados em sua nova experiência - Atos 19:1-5.

A REJEIÇÃO DE UMA IGREJA NA PROFECIA BÍBLICA

Observe as figuras apresentadas no quadro profético do livro de Daniel e suas correspondências:
Daniel 7:21 “eu olhava, e eis que essa ponta fazia guerra contra os santos e os vencia!”.>>> o chifre pequeno que Daniel viu no animal representa um rei. Qual é a única classe de reis religiosos que possuem um cidade e um país ? (o papa, que governa o estado do vaticano).

  Daniel 8:10 “e se engrandeceu até ao exército dos céus; e a alguns do exército e das estrelas deitou por terra e os pisou”.>>> uma referencia ao sistema católico de missas que interrompeu a intercessão de Jesus e dos anjos em favor do homens.

Daniel 8:11 “e se engrandeceu até ao príncipe do exército; e por ele foi tirado o contínuo sacrifício, e o lugar do seu santuário foi lançado por terra”.>>> através da missa a intercessão de Jesus é anulada.

O que a ICAR declara ser a missa? “a missa é o perpétuo sacrifício do novo concerto, no qual cristo, nosso senhor se oferece, pelas mãos do sacerdote, sem sangue, sob as aparências de pão e vinho [tal como determina o dogma da transubstanciação], ao seu pai celestial, como aquele que se ofereceu com sangue sobre a cruz. (Deharbe, a full catechism of the catholic religion, págs. 162, 163, 165).

Que efeito tem a missa sobre a intercessão de Jesus? “por ela (missa) obtemos a misericórdia divina: (1) graças de contrição e arrependimento para perdão dos pecados; (2) remissão das penas temporais por causa dos pecados.” (Deharbe, a full catechism of the catholic religion, págs. 162, 163, 165).

Observe, então, que segundo o ensino católico, Deus aplica aos pecadores “os méritos sagrados do sacrifício da cruz” não através do ministério de Jesus no santuário celestial, mas através dos recursos que a igreja católica coloca “à disposição” deles. Em outras palavras, ela retém o monopólio da salvação. Isto é ou não é a imposição de um “santuário” falso em lugar do verdadeiro?

A missa anula o sacrifício de cristo >>> “o sacrossanto sacrifício da missa não é apenas sacrifício de louvor e ação de graças, ou simples comemoração do sacrifício consumado na cruz, mas é também verdadeiro sacrifício de propiciação, pelo qual deus se torna brando e favorável para conosco.” (Valdomiro pires martins, catecismo romano, pág. 267. Ênfase suprida).

Daniel 8:12  “e o exército lhe foi entregue, com o sacrifício contínuo, por causa das transgressões; e lançou a verdade por terra; fez isso e prosperou.” >>> a verdade lançada por terra, é a grande verdade que Jesus é o único intercessor; só Ele tem autoridade para perdoar pecador e oferecer a salvação.

Homens redefinindo o sacrifício >>> o papa leão 13 já dizia em 1898: “os sacrifícios do velho concerto eram sombras do futuro sacrifício da cruz muito antes já do nascimento de cristo. Após a sua ascensão ao céu, um sacrifício idêntico continuou na missa... Nosso divino redentor quis que o sacrifício consumado uma vez na cruz se prolongasse para sempre. E isto é feito através da missa.” (Encyclical caritatis studium, 25 de julho de 1898).

Quando é afirmado que o sacrifício da missa é incruento, isto é, sem derramamento de sangue, tem a ver apenas com a sua literalidade. Em intenção, todavia, o sangue de Jesus é novamente derramado: “é o sangue da vítima abatida no calvário, ‘fora das portas’ o que oferecemos em nossos altares, hoje, dentro do santuário cristão... Através deste sacrifício de adoração, como ensina o concílio de Trento, deus, do aplacado, concede graça e dons de arrependimento e perdoa pecados e crimes mesmo os mais enormes.” (Macdonald, The sacrifice of the mass, págs. 30, 31. Ênfase suprida).

Católicos crêem que a salvação é a igreja e não Jesus >>> “cada um está obrigado, sob pena de condenação eterna, a tornar-se um membro da igreja católica, a crer em suas doutrinas, usar seus meios de graça e submeter-se à sua autoridade....” (Deharbe, 140, 145).

Diante de todas estas colocações, pergunta-se: “o que diz a bíblia?” Bem, a epístola aos hebreus anuncia o sacrifício de Jesus como sendo um. Mais que isso, ela afirma que seu sacrifício foi oferecido uma vez por todas (7:27), isto é, o único sacrifício da cruz dispensa qualquer outro, ainda que seja a repetição dele, como alega o catolicismo ocorrer em cada missa. “uma vez por todas” significa “um só e nada mais”.

E, além disso, deus não concedeu a ninguém neste mundo o monopólio da salvação, já que isto é uma prerrogativa exclusivamente sua. Só ele salva, e o faz através dos meios que ele mesmo instituiu e estão bem claros em sua palavra. Isto encerra a questão, e consolida o santuário romanista como anticristão.

Quão devastadora foi a obra do “chifre pequeno” contra o santuário, segundo a profecia de daniel 8! E pergunta-se: por que tudo aconteceu assim? Este capítulo responde: “por causa das transgressões” (v. 12).

Transgressões de quem? É verdade que o sistema papal conseguiu surgir e desenvolver-se porque pouco a pouco a igreja cristã abriu mão da verdade, cedendo terreno ao engano e à apostasia. Mantivessem os cristãos a pureza apostólica do i século, não se desviando da verdade, mesmo um milímetro sequer, jamais teria havido condições de surgir o poder apóstata. Não no seio do cristianismo.
A rejeição >>> mas principalmente a partir do 4º  século, a igreja, que já não era tão pura, teve suas portas escancaradas para o paganismo, e o resultado final foi o estabelecimento do papado. O papado, na realidade, não substituiu o paganismo, mas é a obra prima dele na igreja. Em Roma pagã o imperador era o sumo pontífice, o chefe máximo, o senhor de todos. Nisto se tornou o bispo de Roma para a cristandade.

Daniel 8:10 - "...cresceu até atingir o exército dos céus" >>> alusão às perseguições movidas pelos imperadores romanos à igreja cristã nos três primeiros séculos da nossa era, e perseguições movidas pelo romanismo a todos os que não se sujeitassem a seus ditames

Daniel 8:10 - "...a alguns do exército e das estrelas lançou por terra e os pisou" >>> alusão ao martírio imposto pela igreja a líderes de grupos dissidentes e reformadores, Huss, Jerônimo, Savanarola, etc.

Daniel 8:10 - "...engrandeceu-se até o príncipe do exército" >>> alusão à morte de Jesus por ordem do tribunal romano (Pilatos) em 31 ad.

Conforme Daniel 12:1, o príncipe é Jesus, e à atitude da igreja contra os fiéis na idade média, perseguindo-os e matando-os;  às prerrogativas papais, colocando-se no mesmo nível de jesus, e em certos aspectos, até acima dele.

Daniel 8:11 - "...dele tirou o sacrifício costumado e o lugar do seu santuário foi deitado abaixo" >>> alusão ao sacrifício da missa e ao perdão oferecido pelos padres, anulando a intercessão de Jesus no céu – “e, se alguém pecar, temos um advogado para com o Pai, Jesus cristo, o justo.e ele é a propiciação pelos nossos pecados” 1 João 2:1 

Daniel 8: 12 - "...deitou por terra a verdade" >>> lamentavelmente a igreja, pura em seus começos, não perseverou em ser "coluna e baluarte da verdade" (1 Tim 3:15). Aos poucos cedeu a pressões externas, em matéria de fé e doutrina. Nos anos que antecederam a instituição do papado no 6º século, vãs filosofias e práticas pagãs adentraram o cristianismo.

Daniel 8:13  “...a visão do contínuo sacrifício e da transgressão assoladora, para que seja entregue o santuário e o exército, a fim de serem pisados...” >>> os textos se referem  a profanação do santuário celestial pela igreja catolica: (1) buscando-se, através de homens (padres), a necessária expiação para pecados cometidos, e (2) substituição da morte de Jesus pelo sacrifício da missa.

A NUMEROLOGIA DO SETE

As Sagradas Escrituras estão cheias de referências ao número sete. São 372 referências diretas ao algarismo; desde o castigo a Caim – “qualquer que matar a Caim sete vezes será castigado” em Gênesis 4:15, até os “sete anjos que tinham as sete taças” de Apocalipse 21:9.

Mas a tradição é a partir do texto sagrado, na instituição do sétimo dia em Gênesis 2:2 e 3. Ali o sétimo dia da semana é colocado como memorial – “E, havendo Deus acabado no dia sétimo a sua obra, que tinha feito, descansou no sétimo dia de toda a sua obra, que tinha feito. E abençoou Deus o dia sétimo e o santificou; porque nele descansou de toda a sua obra, que Deus criara e fizera”.

As referências ao algarismo sete na forma ordinal (sétimo) são mais 108 citações do texto sagrado. Desde “descansou no sétimo dia” Gênesis 2:2, até “o sétimo anjo” em Apocalipse.

Além disso há as menções “setenta vezes sete” que dimensionam as aplicações do número sagrado. São 96 menções do número setenta.

Enfim, são 576 menções ao numero sete e as suas diretas derivações. Além disso há os significados teológicos, proféticos e diversas aplicações a partir de cada contexto. E são esses significados e aplicações que dimensionam e tornam sagrado o que o número indica.

A maior expressão desta sacrossanta aplicação é o sétimo dia (o sábado), que foi declaradamente deixado por Deus como memorial da relação de Deus e a humanidade – “Certamente guardareis os Meus sábados; pois É SINAL ENTRE MIM E VÓS nas vossas gerações; para que saibais que Eu sou o Senhor, que vos santifica” Êxodo 31:13. A mesma verdade é repetida em Ezequiel 20:12; 20:20.

Mas o numeral da Divindade é rico em suas aplicações; no Apocalipse o numero sete traz impressionantes revelações. São sete bênçãos; sete espíritos; sete castiçais; sete estrelas; sete anjos; sete igrejas; sete selos; sete trovões; sete trombetas; sete taças; sete pragas. O número 7 indica no Apocalipse: totalidade, abrangência, universalidade.

As menções se tornam significativas e de profundo valor teológico. O número sete carrega a benção do sétimo dia em Gênesis 2, a benção da obediência e santidade do sábado em Isaias 58:13, e as 7 bençãos do Apocalipse. Assim é um número ligado a beatitude Divina e cheio de aplicações a humanidade quando seguida de obediência (guarda do sábado) e de fé nas promessas do Apocalipse.

A combinação de algarismos no próximo dia 07.07.07 não terá muito valor para qualquer situação; a benção verdadeira, as ricas provisões do Criador aos humanos são reservadas aos que exercem a fé e a obediência.

A promessa de Isaias é significativa – “Se desviares o teu pé do sábado, de fazer a tua vontade no meu santo dia, e se chamares ao sábado deleitoso e santo dia do SENHOR digno de honra, e se o honrares, não seguindo os teus caminhos, nem pretendendo fazer a tua própria vontade, nem falar as tuas próprias palavras, então, te deleitarás no SENHOR, e te farei cavalgar sobre as alturas da terra e te sustentarei com a herança de Jacó, teu pai; porque a boca do SENHOR o disse” cap. 58:13.

DOIS ÍCONES DO APOCALIPSE

Ratzinger e Bush tiveram um encontro apocalíptico no Vaticano. Em uma projeção escatológica os dois ícones da profecia do último livro das Sagradas Escrituras. Os dois representam as duas forças opositoras ao governo Divino descritas no capitulo 13 de Apocalipse.

O Papado e o governo dos EUA representados na profecia como dois animais – “a besta que sai do mar” e “a besta que sai da terra”. A profecia assim descreve esses governos, como aqueles que agiriam contra os propósitos Divinos aqui na terra. A segunda besta (ou animal) tem importância no cenário profético porque a primeira besta (ou animal) foi “ferida de morte” – uma referência a prisão do papa em 1798, por Bertier, general francês do exército de Napoleão.

No entanto a segunda besta (EUA) “foi-lhe concedido também dar fôlego à imagem da besta, para que a imagem da besta falasse” Apoc. 13:15. É os EUA que opera em favor e mimetizando os movimentos da primeira besta. A exemplo do papado de 538 a 1798 DC, os EUA oprime, impõem e faz guerra às nações que não se submetem aos seus “ideais democráticos” (dois chifres).

“Fez que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, lhes fosse posto um sinal na mão direita, ou na fronte” v.16 – e esse tem sido o papel dos EUA através das suas incursões militares e guerras impor o cristianismo ocidental e do interesse do vaticano.

No encontro “Bento 16 estaria especialmente preocupado com a situação dos cristãos iraquianos, muitos dos quais teriam deixado o país por causa da violência.

"Ele se mostrou preocupado com o fato de que a sociedade que está se formando (no Iraque) venha a ser pouco tolerante com o cristianismo", disse Bush. Bush disse esperar que a nova Constituição iraquiana proporcione um ambiente para que todos os iraquianos - muçulmanos e cristãos - vivam bem juntos”. [BBC]

São os interesses da primeira besta vivenciados militarmente pela segunda besta. O papado ganha “fôlego” e sua imagem de perseguição, imposição e intolerância religiosa é reproduzida como a profecia previu.

“O papa Bento 16 disse ao presidente americano George W. Bush que gostaria de ver uma "solução negociada" para os conflitos no Oriente Médio e que a situação no Iraque é preocupante”. [BBC]

A revelação aponta que “por meio dos sinais que lhe foi permitido fazer (EUA) na presença da besta (Papado), enganava os que habitavam sobre a terra e lhes dizia que fizessem uma imagem à besta (Papado) que recebera a ferida da espada e vivia” v.14.

O que o mundo presencia é uma guerra religiosa para sufocar o Islamismo, a exemplo do que karol Wojtyla fez com o comunismo.

O que veremos a seguir (e já ocorre) é uma reascensão do Papado (primeira besta) que ressuscitada pelo “fôlego” oferecido pelos EUA, faz com que “Toda a terra se maravilhou, seguindo a besta, e adoraram o dragão, porque deu à besta a sua autoridade; e adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? quem poderá batalhar contra ela?” v.4

A extrema popularidade do papado em nossos dias, e seus valores morais em defesa da sociedade e da família, em favor do cristianismo, é uma representação vívida da “ferida mortal curada” v.3, e da sua figura no capítulo 17, da “grande prostituta”, ou da grande igreja infiel, que faz o mundo cair em “grande admiração” 17:6.

Mais um capitulo da profecia se cumpre. E o livro esta em seus capítulos finais... que tal virarmos a página e vermos o que acontece no capitulo 18 e 19? Leia hoje o Apocalipse.

POR QUE VOCÊ ESTÁ ADMIRADO?

As apresentações de Ratzinger aqui no Brasil foram encantadoras, e como a própria profecia afirma – admiráveis – (Apoc, 17:7). A repreensão do anjo na visão apocalíptica é para nós que ficamos confusos com o empenho social de Ratzniger em corrigir os males deste mundo – “ Por que te admiras?”; deveríamos estar protestando como fez Lutero, e no entanto ficamos extasiados diante da Tv, maravilhados, admirados com os discursos sobre aborto, família, entorpecentes etc. Irmãos, tudo isto faz parte do “vinho da ira da sua prostituição” que Babilônia oferece aos “reis da terra”.

Babilônia se encontra em sua fase de “prostituta”, assim representada na profecia; aquela que seduz, encanta e causa admiração. Não mais um animal terrível e espantoso – um reino com poder militar e político; mas uma igreja (mulher) infiel que arrasta bilhões e assedia os “reis da terra” para participar do “vinho” ou as doutrinas e ensinos. O mundo esta maravilhado com a performance moral de Ratzinger, ou da igreja católica. Ele realmente pretende mudar a ordem social do planeta, e fará isso até certo ponto.

As pretensões de Ratzinger, no entanto, passam por cima de todas as instituições evangélicas e atropelam os princípios da reforma protestante. “Como já havia feito na última sexta-feira, (11/05) quando citou o "proselitismo agressivo das seitas", Bento 16 voltou a defender o papel da Igreja de "difundir no mundo a caridade de Cristo" como a melhor forma de atrair fiéis”. [BBC]

As seitas que Ratzinger se refere é a minha e a sua igreja. Meu irmão, isso é guerra; o velho grande conflito entre o “Bem e o Mal”, o certo e o errado, o Evangelho e as “subtilezas do erro”.

As “seitas” foram colocadas no mesmo nível de assuntos problemáticos: “Em seus discursos no país, o papa condenou o aborto e a eutanásia, criticou o divórcio, as seitas neopentecostais, defendeu a castidade antes do casamento, pediu aos bispos que deixem questões ideológicas de lado e defendeu uma campanha de evangelização”. [BBC]

Só uma resposta das Escrituras ao falatório católico – Atos 24:14 “ Mas confesso-te que, conforme aquele Caminho, a que chamam de seita, assim sirvo ao Deus de nossos pais, crendo tudo quanto está escrito na Lei e nos Profetas.”

A apostatada igreja judaica acusou o Verdadeiro Cristianismo apostólico também de seita, e no entanto eram eles os desencaminhados. A história se repete.

ATÉ QUANDO O PAPA SERÁ POP?

“Bento 16 completa dois anos de papado nesta quinta-feira, dia 19 (04.07). Decisões como a de recuperar o latim como língua sagrada do catolicismo e a missa tridentina de Pio 5º (em que os padres ficam virados para o altar e de costas para os fiéis) são um pouco constrangedoras. Assim como estão sendo anunciadas, sem maiores especificações, João Paulo 2º não faria”. Por conta da sua defesa da família tradicional e do celibato para os padres, de ter chamado o segundo casamento de praga e por condenar a eutanásia, o aborto, o uso da camisinha e a união entre homossexuais, o jornal italiano Il Manifesto disse que "Bento 16 estava apagando meio século de história". [BBC]

O que vimos nesses cinco dias de exibição de imagens na Tv e fotos dos jornais é o lado artístico do papado. A filosofia da ICAR continua a mesma que a da idade média. Agora mais do que nunca, pois Ratzinger é um conservador irremediável. “O papa foi criticado por caminhar contra a modernidade e o avanço da sociedade”. [BBC]

E a vinda ao Brasil são motivos óbvios; a ICAR está perdendo fiéis. “Sabemos que a cada dia 8 mil fiéis católicos na América Latina largam a Igreja para andar com os movimentos neopentecostais”, diz o escritor e especialista em Vaticano Marco Politi. “É um grave momento de preocupação para o papa, já alarmado com o fato de que a Igreja na Europa é muito secularizada.” [BBC]

Há criticas muito duras na Europa para Ratzinger. “Às vezes, tenho a impressão de que o papa é um chefe quase sem tropa”, disse o escritor católico Vittorio Mesori em uma entrevista ao jornal La Stampa, numa referência aos católicos que, em privado, não obedecem às normas morais da igreja. “Até vão à missa, mas não seguem as diretivas sobre ética sexual”. [BBC]

O jornalista esta corretíssimo. A idolatria católica ao “papa” é fogo de palha; a religião dos católicos se prende a missa do domingo de manhã, e isto para os que são praticantes, pois os 155 milhões de brasileiros que se dizem católicos, a maioria não sabe rezar o Pai Nosso. É uma nação de alienados espirituais que rejeitam por completo as principais doutrinas da ICAR. “Em 1991, 83,3% dos brasileiros se declararam católicos ao IBGE.

Nove anos depois, a porcentagem caiu para 73,8%. Outros números, como o do IBGE, em 2000 (73,8% de católicos), ou da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, em 2005 (67%), mostram uma situação ainda pior para a Igreja. Já os evangélicos teriam crescido de 9%, em 1991, para 15,45%, em 2000, de acordo com o IBGE. Segundo a pesquisa da Unifesp e da UFJF, os evangélicos podem representar hoje até 24% da população brasileira.”.[BBC]

Ratzinger veio ao Brasil para traçar planos para essa queda numérica dos católicos – “O papa indicou que o crescimento das seitas neopentecostais é uma preocupação na Igreja Católica, e que "a assembléia geral dos bispos quer encontrar respostas convincentes para isso" - em uma referência à 5ª Conferência Geral do Episcopado Latino-americano e do Caribe”; no entanto a vida descomprometida e mundanizada dos católicos é a razão para a perda de fiéis. São cristãos nominais apenas. Ao serem apresentados a uma religião viva como o protestantismo prega, é óbvio que abandonam o catolicismo.

A POLÍTICA ECLESIASTICA DO VATICANO

“O papa Bento 16 manifestou nesta quinta-feira (10/05/07) , durante encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em São Paulo, o desejo de ver firmado um acordo entre o Vaticano e o Brasil durante o seu pontificado e o atual mandato de Lula, até 2010. A revelação foi feita pela embaixadora do Brasil no Vaticano, Vera Machado, que contou que o acordo regulamentaria a ação da Igreja no Brasil, abordando o ensino de religião nas escolas, a isenção fiscal para as paróquias e outros temas.” [BBC]


Na idade média o papado tinha poder exclusivo sobre as nações e influenciava tanto a política como a vida publica das pessoas. Por 1260 anos (que a profecia anteviu) o papado dominou a europa e atrasou sua história impondo doutrinas absurdas a milhões de pessoas e nações que se viram no período mais escuro da humanidade.

Hoje o discurso de Ratzinger é pelo Estado Laico, ou sem interferências da igreja, onde ambos seguem distintos e sem interferentes. “A Igreja como tal não faz política, respeitamos a laicidade”, disse. “Mas a Igreja indica as condições nas quais os problemas sociais podem ser amadurecidos”. [BBC] No entanto as indicações do vaticano não funcionam nem para seus próprios fiéis, que não seguem suas doutrinas quanto as principais diretrizes morais da igreja (aborto, sexualidade, divorcio etc.) Como haveria esta igreja ter a pretensão de indicar o que é melhor para as nações?

“Eles (o Vaticano) sentem falta desse status de um acordo internacional que tem com outros países", disse a embaixadora. Apesar de ser o país com o maior número de católicos no mundo, o Brasil ainda não tem um acordo específico com o Estado do Vaticano, que foi um dos primeiros a reconhecer a independência do país. Uma proposta de acordo foi enviada pela Santa Sé ao Itamaraty em dezembro do ano passado, mas o governo brasileiro vem resistindo aos pedidos da Igreja e prefere remeter os temas para a legislação brasileira já em vigor”. [BBC]

O presidente Lula foi firme em rejeitar as interferências do Vaticano; as diretrizes de Lula nada tem haver com liberdade religiosa, mas antes com opinião já formadas sobre o aborto e a liberdade sexual dos brasileiros. Mas isto bem atende aos cristãos protestantes que tem a liberdade garantida em pregar o Evangelho Eterno.

RATZINGER QUER ECUMENISMO

O papa Bento 16 disse (11/05/07), durante um encontro com os bispos brasileiros em São Paulo, que "é preciso fortalecer o trabalho de evangelização para reverter a diminuição de fiéis da Igreja Católica.” [BBC]


A postura dos bispos e padres irão mudar com certeza. Por várias vezes os evangélicos e protestantes foram colocados em uma mesmo “saco” e rotulados de “seitas”. Ignorados o tempo todo por Ratzinger a igreja protestante representada por milhões de cristãos pode esperar um tratamento diferenciado a partir de agora.

O trabalho de evangelismo dos protestantes, foi chamado de “proselitismo agressivo”: "As pessoas mais vulneráveis ao proselitismo agressivo das seitas, que é motivo de justa preocupação, e incapazes de resistir às investidas do agnosticismo, do relativismo e do laicismo são geralmente os batizados não suficientemente evangelizados, facilmente influenciáveis porque possuem uma fé fragilizada e, por vezes, confusa, vacilante e ingênua, embora conservem uma religiosidade inata", disse o pontífice.” [BBC]

A Conferência Geral do Episcopado (Latino-Americano e do Caribe) ouviu essas palavras no discurso de abertura realizado por Ratzinger. Certamente os bispos estarão preocupados em traçar planos para reverter as investidas evangélicas e protestantes.

“Ele (Ratzinger) também pediu que os bispos busquem, em suas dioceses, o "ecumenismo", dando ênfase aos valores cristãos comuns com outras denominações cristãs, embora a multiplicação de “novas formas de proselitismo” de denominações cristãs torne esse trabalho “uma tarefa complexa”.

O Ecumenismo é a união das igrejas cristãs em torno de um mesmo ideal. Muito já se falou sobre ecumenismo, mas o cenário mundial parece finalmente favorecer a união dos cristãos em torno do ideal de uma sociedade menos violenta e mais justa. O que farão os protestantes e evangélicos? Irão se unir a ICAR sacrificando seus ideais protestantes, em nome da paz na religião e no mundo? Vale a pena se unir aos católicos e deixar os princípios bíblicos de lado? O que você individualmente vai decidir?

O FALSO EVANGELISMO DE RATZINGER – Parte 1

Com uma mensagem essencialmente cristã, Joseph Ratzinger tem sermoneado em várias ocasiões sobre temas que preocupam a sociedade mundial e advogado uma causa de restaurador moral em um mundo secularizado, violento e corrupto.


"Desenvolvem-se ameaças contra a estrutura natural da familia, fundada no casamento entre homem e mulher. E tentativas de relativizá-la, dando-lhe o mesmo estatuto de formas de união radicalmente diferentes. Tudo isso constitui uma ofensa à familia e contribui a desestabilizá-la, violando sua especificidade e papel social único”, afirmou Bento 16, falando a 175 embaixadores de países que mantêm relações diplomáticas com o Vaticano, Bento 16 afirmou que a democracia deve “promover o desenvolvimento, respeitando todas os componentes da sociedade”. [BBC]

O esforço do Vaticano está em resgatar (o que eles imaginam ser) as raízes do cristianismo; mas como sempre o papado começa do extremo oposto ao que Jesus começou. Ratzinger apela para os instrumentos políticos enquanto que o evangelho de Jesus era essencialmente ao coração do homem. Os insturmentos que Ratzinger diz ser a solução para o mundo estão na política, porém o evangelho de Jesus traz outra solução ao homem, bem diferente que o Vaticano prega.

“A melhora de alguns índices econômicos, o compromisso na luta contra o tráfico de drogas e a corrupção, os processos distintos de integração, os esforços para melhorar o acesso a educação, combater o desemprego e reduzir as desigualdades na distribuição de renda são índices que devem ser destacados com satisfação", disse ele. Para o papa "se estes processos se consolidarem, poderão contribuir de maneira determinante para vencer a pobreza que aflige vários setores da população e aumentar a estabilidade institucional".

“Em seu discurso aos diplomatas (09/04), Bento 16 também confirmou oficialmente a proxima viagem ao Brasil. "A visita apostólica que farei no próximo mês de maio ao Brasil me dará a oportunidade de olhar para este grande país, que me aguarda com alegria, e para a América Latina e o Caribe", disse ele em um discurso feito para diplomatas no Vaticano”. [BBC]

Mas as preocupações de Ratzinger são outras. O Verdadeiro Evangelho é progreso no Brasil e 15% dos católicos estão sendo arrebanhados todos os anos para as igrejas protestantes ou evangélicas, e o “papa” está preocupado, revela o bispo brasileiro J. Hulmes. Dos 155 milhões de católicos no Brasil (estimativa do Vaticano) aproximadamente 23 milhões estariam migrando para as igrejas protestantes a cada ano. É por esse motivo que Ratzinger vem ao seu maior reduto católico do mundo; preservar os 155 milhões de brasileiros no erro e na idolatria católica.

O FALSO EVANGELISMO DE RATZINGER – Parte 2

Ratzinger vai fazer o lançamento do seu livro aqui no Brasil. “O livro, segundo analistas, deve abrir uma nova frente de debates envolvendo história, religião e fé em torno da figura de Jesus.


"O livro do papa quer demonstrar que Jesus histórico não está em contraposição ao Jesus da fé", disse em entrevista à BBC Brasil o professor de história do cristianismo da Universidade de Roma Gian Maria Vian. Ele diz que pesquisas de nomes respeitados como o teólogo Rudolf Bultmann, um dos mais influentes do século XX, ajudaram a aumentar a distância que separa o "Cristo da fé" do "Jesus da história". Essa distância tem sido tema de várias polêmicas no mundo cristão e na mídia graças principalmente ao sucesso de publicações recentes como os livros Código da Vinci e Inquérito sobre Jesus, que questionaram ou reinterpretaram vários apectos da vida de Cristo - pelo menos a vida como tem sido apresentada pela igreja”. [BBC]

Como já declaramos em um artigo anterior, o mundo está “com grande admiração” (Apoc. 17:6 up) vendo o movimento católico sobre questões fundamentais para a moralização da sociedade mundial – aborto, casamento, família, Aids, juventude etc. E agora a figura de Jesus é defendida por Ratzinger em seu livro. Jesus está sobre feroz ataque na mídia; dezenas de livros, filmes e até comerciais depreciam e vulgarizam a figura Messiânica de Cristo. E Ratzinger sai em defesa do Jesus dos evangelhos, refutando o Jesus histórico da teologia liberal ou da alta crítica.

Vale lembrar que Ratzinger não é o primeiro a fazer isto. Ele está atrasado mais de um século. Os teólogos protestantes já escreveram dezenas de livros em favor do Jesus dos evangelhos em resposta a figura do Jesus histórico de Bultmann. Vou citar apenas um: Otto Borchert – “O Jesus Histórico”; Sociedade Religiosa Edições Nova Vida, São Paulo, 1990 – um livro de quase 20 anos atrás e que trata da questão histórica de Jesus. É apenas um de dezenas de livros protestantes, que cito, por estar em minha biblioteca particular.

Rudolf Bultmann foi um teólogo foi influenciado pela falsa ciência e criou critérios científicos para analisar a veracidade da história de Jesus. Criticou os evangelhos e negou a veracidade dos elementos sobrenaturais na vida de Cristo. “O vaticanista Sandro Magister diz que eles retratam Jesus Cristo "reduzido a simples homem do seu tempo, contradizendo a verdade central do cristianismo". Para Magister, os dois livros (Código da Vinci e Inquérito sobre Jesus) são os mais representativos (atuais) de um "ataque ao Jesus da fé", que estaria em curso.” [BBC]

Mas o Catolicismo é tão culpado quanto os teólogos liberais ou Dan Brown (de “Código da Vinci). O catolicismo muito antes de Bultmann e Brown, anulou a figura de Jesus. Embora onstente a Jesus no centro de sua religião, a figura é de um Jesus morto, enaltecendo a intercessores falsos – Maria, e os demais santos – estes sim que estão mortos e não estão no céu para interceder por ninguém.

O catolicismo de Ratzinger anulou o ministério de Jesus em interceder pelo homem. Faz isto a milênios, desde que os “papas” assumiram a prerrogativa de perdoar pecados.

O FALSO EVANGELHO DE RATZINGER – Parte 3

Como a Igreja Católica anulou o ministério de Jesus entre os homens:


1) O ERRO DA MISSA – “Por ela (missa) obtemos a misericórdia divina: (1) graças de contrição e arrependimento para perdão dos pecados; (2) remissão das penas temporais por causa dos pecados.” (Deharbe, A Full Catechism of the Catholic Religion, págs. 162, 163, 165).

A VERDADE: “Visto que temos um grande sumo sacerdote, Jesus, Filho de Deus, que penetrou nos céus, retenhamos firmemente a nossa confissão. Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno” Hebreus 4:14 e 16. A misericórdia, o perdão e remissão são de livre acesso ao crente; não precisamos de um mediador humano (padre) nem de uma cerimônia (missa). A nossa confissão a Jesus é o acesso – “retenhamos firmemente a nossa confissão. Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça”.

2) O ERRO DA INTERCESSÃO DE MARIA – Maria seria a intercessora entre Deus e os homens. Teriamos de nos dirigir a ela para alcançar nossos pedidos.

VERDADE: “Porque há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem” 1 Timóteo 2:5. Não existe intercessores entre nós e Deus a não ser Jesus. Maria não é intercessora; os santos apóstolos não intercedem. Só há um intercessor – Jesus.

3) O ERRO DA IMORTALIDADE – Maria, Pedro, Paulo e as centenas de “santos” estariam vivos para conceder benefícios aos homens.

VERDADE: "Os mortos não louvam o Senhor, nem os que descem à região do silêncio." Salmos 115:17 – Maria está morta e aguarda a ressurreição na Segunda Vinda. "Pois na morte não há recordação do Senhor” Salmos 6:5. Não há um só registro de Maria ou apóstolos sendo ressuscitados ou sendo levados ao céu.

4) O ERRO DA TRADIÇÃO – Os teólogos católicos afirmam que a ICAR tem seu fundamento teológico em três pilares: A Bíblia, a Tradição e os Dogmas da Igreja.

VERDADE: A Igreja Judaica tinha a mesma diretriz e Jesus declarou: “E assim invalidastes, pela vossa tradição, o mandamento de Deus” Mateus 15:6. A maioria das doutrinas católicas invalidam os mandamentos ou anulam a Bíblia e suas doutrinas. Quando a Tradição se choca com o mandamento, a Tradição deve ser anulada, e não o contrário.

5) O ERRO DAS IMAGENS – “Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus” Êxodo 20:4 – As dezenas de imagens de santos que cobrem as paredes das igrejas católicas são uma anulação do segundo mandamento. Novamente a Tradição invalida o mandamento.

“Não as adorarás (imagens), nem lhes darás culto; porque eu sou o SENHOR, teu Deus, Deus zeloso” Êxodo 20:5 – Os fiéis são colocados diante das imagens e se ajoelham diante delas; procissões são feitas em culto às imagens. Novamente a Tradição invalida o mandamento.

Outros textos sobre imagens:

Oséias 4:12 “O meu povo consulta o seu pedaço de madeira, e a sua vara lhe dá resposta; porque um espírito de prostituição os enganou, eles, prostituindo-se, abandonaram o seu Deus.”

Habacuque 2:19 “Ai daquele que diz à madeira: Acorda! E à pedra muda: Desperta! Pode o ídolo ensinar? Eis que está coberto de ouro e de prata, mas, no seu interior, não há fôlego nenhum.”

Jeremias 10:14 “Todo homem se embruteceu e não tem ciência; envergonha-se todo fundidor da sua imagem de escultura; porque sua imagem fundida MENTIRA É, e não há espírito nela”.

A BELA E A FERA

A “Bela e a Fera” é um clássico da literatura e depois dos filmes que é protagonizada por uma mulher lindíssima e um homem animalesco, todo deformado e horrível.

Os protagonistas (e não o roteiro) servem para entendermos a fase que a Igreja Católica passa nesta era profética, antes representada como fera na profecia (Daniel 7:7; Apocalipse 13:1) e depois como uma sedutora mulher (Apocalipse 17:3 e 4). Essa é uma fase da era profética que precisamos entender para sermos enganados ou deixarmos que o “vinho da prostituição” (Apocalipse 17:2) nos entorpeça.

A fase em que a Igreja Católica é apresentada como fera representa o período em que assumiu a sua apostasia; não podemos negar que até o quintoo século de nossa era a igreja católica seguiu os moldes da igreja apostólica, mas a partir do momento que admitiu o paganismo e depois o governo político dos “papas”, começou sua apostasia e por fim sua extirpação do corpo de Cristo.

A exemplo da igreja hebraica, israelita e judaica, a igreja apostólica, patrística e católica passou por fases de apostasia e rejeição.

Fases da Igreja:

Hebraica – 1955 AC – 1450 AC
Israelita – 1450 AC – 935 AC
Judaica – 935 AC – 34 DC
Apostólica – 34 DC – 260 DC
Patrística – 260 DC – 400 DC
Romana – 400 DC – 538 DC
Católica – 538 DC – 1500 DC
Reformada- 1500 DC -- Atualidade.

Obs. a datação não tem fins históricos mas didáticos

A rejeição da igreja católica ocorre no quinto século quando o império adota a igreja como religião oficial e o paganismo altera suas doutrinas fundamentais. A rejeição a exemplo dos judeus não foi abrupta, mas passou por processos de decomposição doutrinária e por fim eclesiástica. Houve uma época em que Jesus que inaugurava e principiava a nova igreja apostólica, conviveu com a asfixiada igreja judaica e tentou reforma-la, os apóstolos tentaram reforma-la; e por fim veio a destruição total no ano 70.

Com a igreja católica a rejeição não ocorre de forma abrupta, mas gradual e embora essa mesma igreja permaneça até hoje, a profecia revela sua transformação em Daniel em um reino político religioso – “proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos e a lei; e eles serão entregues nas suas mãos por um tempo, e tempos, e metade de um tempo” – Daniel 7:25.

Até uma período de tempo é oferecido a atuação sobre os santos. E aqui percebemos que Deus faz distinção entre aqueles que são os seus santos e os que estão como opositores. O período de tempo trata-se de 1260 anos de perseguição na era medieval realizada pela igreja católica sobre a igreja “dos santos" ou a igreja martirizada e perseguida pela igreja católica medieval.

Ma o foco atual está sobre a nova Igreja Católica que aparece não mais representada como uma fera, monstro ou animal (besta) que representa um reino político. A nova representação traz uma mulher (símbolo de igreja – Efésios 5:32) sobre uma “besta” ou reino político.

È importante aqui percebermos que a profecia destaca que a igreja que antes era representada como algo ameaçador, aparece nos cenário profético como uma igreja (mulher) falsa (prostituída) – Apocalipse 17: 4 a 6 – “E a mulher estava vestida de púrpura e de escarlata, adornada com ouro, e pedras preciosas, e pérolas, e tinha na mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua prostituição. E, na sua testa, estava escrito o nome: MISTÉRIO, A GRANDE BABILÔNIA, A MÃE DAS PROSTITUIÇÕES E ABOMINAÇÕES DA TERRA. E vi que a mulher estava embriagada do sangue dos santos e do sangue das testemunhas de Jesus. E, vendo-a eu, maravilhei-me com grande admiração”.

Particularidades da descrição revelam a semelhança coma Igreja Católica atual:

+ “vestida de púrpura e de escarlata” – cores tradicionais dos papas

+ “adornada com ouro, e pedras preciosas, e perolas” – riqueza

+ “cálice de ouro cheio de abominações” – doutrinas baseadas na tradição e no erro

+ “embriagada do sangue dos santo” – referência aos crimes de perseguição

+ “maravilhei-me com grande admiração”.

Essa última característica – “maravilhei-me com grande admiração” – é uma dos pontos que a atual igreja católica ostenta e engana todo o mundo e discutiremos na seção seguinte.

A ADMIRÁVEL IGREJA CATÓLICA

Depois de 1798 quando o General Bertier, por ordem de Napoleão, imperador da França destituiu o “Papado” a Igreja Católica não aparece mais no cenário profético como uma ameaça, mas como uma sedutora mulher a prostituir-se com as nações e oferecer seu cálice de doutrinas.


A partir daí só em 1929 é reconhecido com o Estado do Vaticano, que é devolvido ao “Papado” e começa a nova fase, mas não mais como líder político como antes (representado como “animal terrível” na profecia) mas como uma igreja como as demais (mulher) porem nos mesmos fundamentos doutrinários da idade média (mulher prostituída) e culpada dos crimes não confessados e não assumidos perante as leis civis dos homens (mulher embriagada).

Hoje os bispos de igrejas protestantes respondem processos por erros com a receita federal e são presos; décadas depois do holocausto, os nazistas são julgados e condenados por seus crimes. O que seria da Igreja Católica se fosse julgada por seus milhões de assassinatos e tortura na idade média?

A figura atual da “bela” igreja (mulher) que se passa nos meios de comunicação é uma projeção da profecia de Apocalipse 17. Uma igreja que defende a família, o casamento, é contra o aborto, a união de homossexuais, contra a liberdade sexual dos jovens, indica a abstinência para a prevenção das DSTs, defende a autenticidade do evangelho e da figura de Jesus nos relatos históricos – que igreja é esta?! E as palavras do anjo do Apocalipse se fazem ouvir: “Por que te admiras?” (Apocalipse 17:7).

A igreja católica está montada em um império e segue a seduzir as nações com doutrina fundamentalmente cristãs e com importância social urgentes, porém, com as mesmas doutrinas eclesiásticas errôneas e deturpadas anulando a essência do evangelho. Esses são seus erros:

+ Anulação da Mediação de Jesus Cristo, substituída pela Mediação de Maria (1 Timóteo 2:5 Porque há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem.”

+ Anulação da Lei Moral, substituindo e alterando três mandamentos: excluindo o segundo mandamento sobre imagens, mudando o sábado para o domingo e dividindo o décimo mandamento. (Daniel 7:25 “mudará os tempos e a lei”; Êxodo 20)

+ Anulando o perdão dos pecados pela Graça, instituindo a venda do perdão (indulgências), pagamento de penitencias em troca de perdão e venda de salvação dos mortos. (Atos 10:43 “Todos os que nele crêem receberão o perdão dos pecados pelo seu nome”.

Os erros se seguem em uma lista longa.

Mas a grande comoção e defesa da igreja católica nas questões sociais urgentes que o planeta enfrenta é a beleza e causa de admiração de todos os habitantes do planeta. A igreja católica se fez popular e politicamente correta. No entanto é preciso crer na palavra profética, para não sermos embriagados e entorpecidos com seu “vinho” ou extasiados de grande admiração por sua “beleza”.

A IGREJA CATÓLICA E SUA AÇÃO NO ESTADO ITALIANO

“A metade dos italianos (51%) avalia que a Igreja Católica deve dar sua opinião sobre normas discutidas ou aprovadas pelo Parlamento, de acordo com pesquisa publicada nesta terça-feira pelo principal diário da Itália."Os italianos concordam, de modo geral, com uma intervenção, se o tema for de interesse da Igreja. Mas há forte contraste a respeito da oportunidade deste comportamento", avalia Renato Manheimer, responsável pela pesquisa, encomendada pelo jornal Corriere della Sera"”.[BBC]


A igreja católica começa a assumir os moldes da idade média; desde a posse de Ratzinger uma nova postura tem sido adotada, mais agressiva em relação às suas doutrinas. Agora diante dos fatos políticos mundiais, a posição desta igreja tem sido norteadora. Os constantes apelos de Ratzinger ao terrorismo, seqüestros, e as posturas morais pelo mundo afora, tem sensibilizado o mundo político que olha o pontífice como um líder moral destacado dentre todas as nações.

O Apocalipse apresenta duas fases da igreja apóstata, sob o símbolo de uma igreja-estado; o primeiro é um animal (besta) “semelhante ao leopardo, e os seus pés, como os de urso, e a sua boca, como a de leão” Apoc. 13:1. Isto possivelmente porque a igreja vêm sob crença espiritual dos gregos (leopardo), os fundamentos políticos-religiosos dos medo-persas (urso) e a arrogância dos antigos babilônios (leão).

A segunda fase é representada sob uma “mulher assentada sobre uma besta de cor escarlate, que estava cheia de nomes de blasfêmia e tinha sete cabeças e dez chifres” Apoc. 17:3. Agora a igreja apóstata assume o formato de uma igreja propriamente dita (pois mulher na profecia = igreja – Efésios 5:28-32). A igreja católica tem uma representação nítida nesta profecia pois é descrita como “vestida de púrpura e de escarlata, adornada com ouro, e pedras preciosas, e pérolas, e tinha na mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua prostituição” Apoc. 17;4.

E ainda são descritas as características que a fizeram distintiva na idade média como “embriagada do sangue dos santos e do sangue das testemunhas de Jesus” Apoc. 17:6 – uma referência marcante da perseguição religiosa que realizou contra os cristãos que não aceitavam seus dogmas e doutrinas; milhões de pessoas morreram nas Inquisições; sem mencionar as Cruzadas contra os muçulmanos.

“A Igreja italiana tem se mobilizado de diversas formas nos últimos meses contra o projeto de lei, que ainda nem foi discutido pelo Parlamento. Com uma carta, divulgada na semana passada, a conferência episcopal italiana deixa bem claro que os seguidores da religião católica devem ser contrários a qualquer forma de ameaça à família. O documento fornece também diretrizes bem claras aos políticos católicos, que, de acordo com a carta, não devem de forma alguma votar leis que coloquem em risco a família tradicional”. [BBC]

O fato atual é que a Igreja Católica assume uma postura diante de questões da família (divórcio, aborto, homossexualismo etc) e questões de bioética, e esses trâmites estão sendo decididos pela sociedade no parlamento, e os italianos querem a interferência do Vaticano na política.

Aqui começa uma nova fase da Igreja apóstata no cenário profético; é aqui que ela é inserida novamente nos assuntos e na liderança política e começa ter força como instituição religiosa-estatal. Assim como no passado, as leis religiosas terão força política e logo veremos os dogmas católicos novamente impostos sobre a sociedade, com o apoio do estado e as vigências e punições conseqüentes. O quadro profético final começa a esboçar suas cores.

A VELHA FIGURA DO LÍDER POLÍTICO-RELIGIOSO

Os “papas” da Igreja Católica até o final do século 18 tiveram uma influencia política muito forte. Reis e rainhas estiveram submissos a sua liderança mundial durante 12 séculos e meio (idade média). E desde que o Vaticano reassumiu as terras e o governo daquele estado (Vaticano) em 1929, a figura dos “papas” voltaram ao cenário político-mundial.


Em um discurso Ratzinger disse: “Com profunda apreensão eu penso, neste dia festivo (natal), no Oriente Médio, marcado por tantos conflitos e tantas crises graves, e expresso minha esperança de que um caminho se abrirá para uma paz justa e duradoura", disse o papa, na Praça de São Pedro, no Vaticano."Ponho nas mãos do divino Filho de Belém, as indicações de uma retomada do diálogo entre israelenses e palestinos, que testemunhamos nos últimos dias, a esperança de novos desdobramentos encorajadores", acrescentou Bento 16. O papa também deplorou os conflitos em Darfur, no oeste do Sudão, e em outras partes da África.”. [BBC]

A interferência, e não só mera preocupação pastoral de Ratzinger, é evidente nos fatos passados do Vaticano na figura de K. Voityla (João Paulo II) nas ações contra o comunismo. Não eram só meras orações por um mundo melhor, foram interferências políticas para acabar com o comunismo e derrubar os muros de Berlim que separavam o mundo ocidental e oriental.

Mas Voityla tinha planos mais ambiciosos. “O pontífice disse que a nova ordem mundial deveria ser capaz de fornecer soluções para os problemas atuais com base na dignidade do ser humano, solidariedade entre países ricos e pobres e compartilhação de recursos. João Paulo 2º estava rezando uma missa na basílica de São Pedro, no Vaticano, para marcar o dia mundial da paz, celebrada pela Igreja Católica Romana no dia primeiro de janeiro”.[BBC – 01/01/04]

Ratzinger tem muros a derrubar também. Um muro divide o mundo palestino e israelense e seus desafios com as nações do oriente médio o colocam, como foi com Voityla, como um embaixador da paz para trazer a ordem política e espiritual naquela região. Os planos de Ratzinger são como de um estrategista militar; das acusações contra a religião de Maomé “para analistas, as declarações do papa na Alemanha, longe de terem representado um 'erro' ou uma gafe diplomática do principal dirigente da religião católica no mundo, fariam parte de uma estratégia do Vaticano.

O analista de assuntos vaticanos, Sandro Magister, diz acreditar que o papa sabia que aquela frase poderia provocar reações e correu este risco voluntariamente. Magister afirmou à BBC Brasil que este seria o 'estilo' de Bento 16, que quer impor uma nova direção política no Vaticano” [BBC – 25/09/06]

A postura do Vaticano desde os seus primórdios é esta – a liderança político-religiosa do mundo. Isto está no cerne do Vaticano; foi assim que dominou o mundo durante quase 13 séculos e é assim que pretende ser ainda impondo suas crenças e dogmas. “Entre as encíclicas mais políticas, figura "Vehementer nos", elaborada por Pio X em 1906, na qual a Igreja condena a lei francesa que adotava a separação entre a Igreja e o Estado e introduz o princípio do Estado laico, uma idéia mais tarde adotada em boa parte do mundo”. [UOL – 25/01/06]

“Na exortação apostólica pós-sinodal sobre Eucaristia Sacramentum Caritatis – O Sacramento do Amor, o papa fez recomendações para algumas das questões mais discutidas na Igreja, tendo como base recomendações do último Sínodo dos Bispos, realizado em outubro de 2005. No documento divulgado nesta terça-feira (10/04), Bento 16 deu ênfase a sua contrariedade com políticos e legisladores assumidamente católicos que defendem leis em desacordo com a posição da Igreja”. [BBC]

O CLUBE CRISTÃO DA UNIÃO EUROPÉIA

“Os fundamentalistas islâmicos dizem que a União Européia é um clube cristão que rejeita a Turquia por ela ser muçulmana”, explica Sami Kohen, colunista especializado em política internacional do diário turco Millyiet. Grupos radicais islâmicos ou ultranacionalistas da Turquia – minoritários no país – denunciam os planos do governo de Ankara de fazer profundas reformas para poder integrar o que consideram um clube cristão.” (BBC - Março de 2005)


A ultima figura que o Apocalipse apresenta do cristianismo apostatado (Apoc. 17) é a de uma Mulher prostituta sobre um animal (Leopardo escarlate) de Sete Cabeças e Dez Chires. Esse animal representa o mesmo Império Romano que deu origem a Europa. As cabeças estão identificadas no verso 9 e representam “os sete montes sobre a qual a mulher esta assentada”. A interpretação historicista identifica que esses montes são as sete colinas da cidade de Roma, a sede do “Clube Cristão” que a reportagem indica ou a Religião Católica.

Os Dez chifres são associados com a antiga Europa formada por: Lombardos, Francos, Burgundos, Ostrogodos, Visigodos, Vândalos, Hérulos, Suevos, Hunos e Saxônios – e que representam as Dez nações que originaram o velho continente.

“As negociações sobre a entrada da Turquia na União Européia podem servir nos próximos anos como um teste sobre a coexistência entre cristãos e muçulmanos no velho continente.Cerca de 12,5 milhões de muçulmanos vivem atualmente na Europa Ocidental. A entrada da Turquia no bloco significaria um acréscimo de uma população de 70 milhões, dos quais 99% são muçulmanos”. (BBC)

A União Européia conta hoje com mais de 25 países. Isso não descaracteriza a profecia, do Animal Escarlate de Sete Cabeças e Dez Chifres, pelo contrário indica o milenar estratagema do Mal em unir as forças políticas e militares para impor uma ordem mundial; sendo a entrada da Turquia um grande significado profético – “E o sexto anjo derramou a sua taça sobre o grande rio Eufrates; e a sua água secou-se, para que se preparasse o caminho dos reis do Oriente.” Apocalipse 16:12

A Sexta praga é visto como relacionada a Turquia (Rio Eufrates) que “seca-se” ou permite a influencia “cristã”. “Segundo os especialistas, se por um lado trará questionamentos sobre a importância da identidade cristã da União Européia, o caso turco poderia servir como um exemplo para o mundo de que as civilizações ocidental e islâmica são capazes de conviver em paz.Embora tenha uma população predominantemente muçulmana, a Turquia é um país secular. Sua Constituição, legado de uma revolução liderada por Mustafá Kemal Ataturk nos anos 1920, prevê rigorosamente a separação de assuntos de Estado e religião”. (BBC)

O grande desfecho histórico é cristãos e muçulmanos finalmente convivendo juntos, mesmo que comercialmente. E é este o sinal da Sexta Praga. Os dois mundos – cristão e muçulmanos – por fim se tocarão através do capitalismo, ou ligações comerciais. E sobre isto tudo, “montada” esta a Grande Prostituta – a igreja apostatada que rege os comércios – “ Porque todas as nações beberam do vinho da ira da sua prostituição. Os reis da terra se prostituíram com ela. E os mercadores da terra se enriqueceram com a abundância de suas delícias”. Apocalipse 18:3