A INTOLERANCIA DE MAOMET

“Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas operando grandes sinais e prodígios para enganar, se possível, os próprios eleitos” Mateus 24: 24.

Uma das várias advertências deixadas por Jesus como sinais para o Tempo do Fim, foi a presença de FALSOS PROFETAS que operariam sinais, prodígios e enganariam a muitos.

A palavra ‘Cristo’ significa ‘ungido’ ou ‘enviado’ e ao lado da qualificação de Profeta Jesus coloca aqueles que pretendem ser enviados de Deus, como pessoas especiais (como Jesus o foi) com uma mensagem Divina para divulgar a humanidade.

Após a vinda do verdadeiro Cristo, Jesus o Deus encarnado, alguns pretenderam ser os ‘enviados’ de Deus ou profeta, com uma mensagem de salvação ao homem. Várias religiões surgiram da pretensa habilitação de um humano qualquer, que pretendia ser o representante de Deus na terra ou um profeta para os seus dias.

O Islamismo, Budismo e o Confuncionismo são religiões que alegam que seus fundadores eram enviados ou profetas de Deus. Mas as profecias Messiânicas do Velho testamento e o cumprimento das mesmas na vida de Jesus excluem totalmente qualquer outro indivíduo, colocando o selo de falsidade ao qual o mesmo Jesus advertiu sobre os FALSOS PROFETAS e FALSOS CRISTOS.

Desde os hebreus, israelitas, judeus e o pelo próprio cristianismo, Deus pretendeu falar ao homem pelos canais autorizados de profetas e por fim do Messias – o próprio Jesus.

No entanto outro individuo que se coloque na mesma qualificação de profeta acaba se enquadrando no perfil de engano para os últimos dias.

O profeta divinamente autorizado possui credenciais que a própria escritura avaliza, colocando-o em uma posição de credibilidade; no entanto o que percebemos após a era apostólica é o surgimento de FALSOS PROFETAS pretendendo assumir um comissão Divina de salvação da humanidade e a determinação de um novo sistema religioso estranho ao Cristianismo.

Os cristãos possuem 3500 anos de orientação profética através das escrituras, que de forma concatenada e clara as profecias apontam para o Messias Jesus e a formação do Cristianismo.

Nenhuma outra filosofia religiosa pode assumir as mesmas prerrogativas proféticas ali deixadas; e também nenhum outro movimento pós-apostolico se encaixa ou assume uma dispensação superior ao cristianismo.

Tudo que discorde da linha profética dos 3500 anos de revelação deixados nas Escrituras, se faz um FALSO movimento ou FALSA filosofia religiosa.

O ISLAMISMO DE MAOMÉ

Maomet nasceu no ano 570 e seu nome significa "exalçado". Filho de Abdallah e de Amina, pertencentes à tribo dos Coraichitas que tinha a seu cargo a custódia do templo de Kaaba, ficou órfão de pai aos dois meses de idade e de mãe aos seis anos.

A meninice e juventude de Maomet: são descritas permeadas de lendas muçulmanas que, embora inverdades, é claro, inspiraram um fanatismo cego a seus seguidores, a ponto de estarem sempre prontos a matar e a morrer em defesa do profeta e de seus ensinos.

Aos cuidados dos parentes Maornet fêz-se homem, afinal, casando-se aos 25 anos com uma viúva rica, Cadicha, já quarentona, a serviço de quem estivera por algum tempo.

Não se contentou Maornet sômente com um casamento e realizou "ainda quatorze uniões conjugais". Entre as suas esposas e concubinas figuravam uma cristã (copta do Egito), uma judia e uma criança de sete anos, Aixa ( mais tarde favorita e que era filha de Abu Becre - o sucessor do profeta") Teve também onze concubinas".

0 matrimônio contraído com Cadicha fêz de Maornet um dos mais ricos habitantes de Meca. Renunciando, porém, algum tempo depois suas operações comerciais, fixou tôda a sua atenção no espetáculo moral que ofereciam seus compatriotas e ' no remédio que êle cria mais eficaz para erguê-lo a um plano mais elevado.

Êste remédio era o plano de uma nova religião, que consumiu quinze anos até que amadurecesse a seu contento. Mas, para cimentar o novo credo que pretendia fôsse aceito por seus compatriotas e pelo mundo todo, procurou dar cunho de revelação aos dogmas da nova seita de sua invenção.

Aos 40 anos, depois de já ter meditado 15 em seu projeto, em 610, pretendeu ter chegado o momento de pôr em prática o que pretendia. Começou por participar o aparecimento do anjo Gabriel a êle, na solidão do monte Hira, o qual viera comunicar-lhe a elevada missão para a qual fôra escolhido como profeta. Verdadeiras lendas absurdas envolvem a pretensão de Maornet como profeta escolhido e inspirado de Deus, que são demasiado ridículas para serem inseridas nesta obra.

Depois de participar a nova a Cadicha, poucas pessoas, inclusive Abu Becre, ficaram a par da sua pretensa investidura. Durante três anos comunicou-a secretamente; afinal declarou que Deus lhe ordenara que a proclamasse ao gênero humano. Todavia as lendas maometanas que cercam Maornet dão uma idéia do triste fundarnento do maometanismo. Em tôdas as suas fantásticas visões lendárias, crêem orgulhosamente os fanáticos muçulmanos.

As classes de Meca não receberam com bom grado, a princípio, as doutrinas de Maomet. Quando em 622 se encontravam em Meca muitos peregrinos fiéis ao profeta, desencadeou-se então a perseguição. Por ordem de Maornet e em segrêdo, seus seguidores abandonaram a cidade com destino a Medina e outras partes.

Maomet ficou em Meca até que todos os seus partidários dela se retirassem. Uma assembléia, entretanto, resolveu dar cabo dêle antes que também deixasse a cidade. Mas êle, acompanhado de Abu Becre, fugiu para Medina, onde foi recebido de braços abertos, e cuja cidade foi chamada "cidade do profeta.

A fuga de Maomet, de Meca, em 16 de julho do ano 622, a Hegira, determina o início da era maometana, observada por todos os seguidores do profeta. Esta fuga, porém, a contra gôsto do fugitivo, despertou-lhe ódio de vingança contra Meca e seus perseguidores,

Estabelecido e apoiado firmemente em Medina, começou Mãomet a sua guerra contra Meca, a cidade sagrada do país. Disse que . a chave do paraíso é a espada, que uma gota de sangue derramada pela causa de Deus, uma noite passada sob as armas a céu aberto, têm mais merecimento do que dois meses de jejum e de oração.

ENGANO, FARSA E VIOLÊNCIA

A partir das atitudes de Maomet (poligamia, falsidade e blasfêmia) esta a base de toda a pretensa religião Islâmica. Não se trata de preconceito mas de uma fria análise desta grande invenção de aparições e delegações divinas a um homem que nunca teve projeções messiânicas ou proféticas.

A Bíblia é autorizada e tem poder para determinar, nos assuntos de religião, o que seria ou não uma heresia, religião falsa ou falso profeta. Maomet, o Islamismo não preenchem os requisitos da Verdade Bíblica.

O Velho Testamento, base para o Alcorão, não aponta nenhum profeta para substituir a revelação máxima de Jesus. A pretensão de Maomet é infundada, mentirosa e fabulosa. O Islamismo, por mais sinceros que sejam seus seguidores, é uma invenção paralela ao cristianismo que o livro do Apocalipse classifica como “poço do abismo” (Apoc. 9:2).

Toda a violência e a intolerância dos muçulmanos revelam a falsidade de seus pretensos dogmas religiosos. Deus é amor, e nunca apoiaria os métodos grotescos de uma religião que usa a força, o crime e é apoiada por armas e bombas.

Todo a dispensação hebraica, israelita e judaica foi caracterizada pela ação Divina para salvar o homem e levar as nações a um convívio pacífico e seguro. Qualquer aproximação do Islã ao pretenso convívio sadio e pacífico é pura utopia. O Islã é uma filosofia religiosa falsa e que leva os homens a violência, ao barbarismo e ao crime.

O terrorismo e agora mais recentemente as manifestações intolerantes e violentas que o mundo islâmico assume revelam o caráter desses pretensos seguidores de Allah. Deus não apóia a violência; ela é fruto do reino das trevas, Satanás é o idealizador do terrorismo, e os homens bomba são nada mais que infelizes servos do Diabo.

Não herdarão mulheres e muito menos estarão no paraíso. Essa estúpida história nunca é mencionada no Velho testamento, nem sequer é ensinado que há vida após a morte... é uma invenção sórdida e absurda do Islã, vinda direta da mente de Satã.

Não há um segmento pacífico do Islã; o que existe é uma atenuação dos seus ensinos. O Islamismo ocidental não atenua os escritos do Alcorão. Maomet ensinou a intolerância aos cristãos; incentivou o suicídio pela fé; pregava fabulas para incentivar os seguidores a depor sua vida em nome de Allah.

O Islã é um contraste com os princípios pacíficos do Evangelho Cristão; Jesus ensinava que “deveria de dar a outra face ao que o fere”, “andar duas milhas” com os soldados romanos que exigiam aos judeus carregar suas cargas e amar ao próximo. Um contraste absurdo com o Islã.
Maomet inventou o Islamismo, mas seus dogmas revelam sua grande farsa.

O ISLAMISMO NA PROFECIA


O capítulo 09 de Apocalipse antecipa a história do Islamismo e usando o termo profético designado pela Revelação, o ABISMO de filosofia religiosa que seria o Islã.
“O quinto anjo tocou a trombeta, e vi uma estrela caída do céu na terra. E foi-lhe dada a chave do poço do abismo. Ela abriu o poço do abismo, e subiu fumaça do poço como fumaça de grande fornalha, e, com a fumaceira saída do poço, escureceu-se o sol e o ar. Também da fumaça saíram gafanhotos para a terra; e foi-lhes dado poder como o que têm os escorpiões da terra” Apocalipse 9:1-3.

É com as imagens de ABISMO, FUMAÇA, FORNALHA, TREVAS, ESCORPIÂO que simbolicamente o Islã é descrito na sua aparição na historia humana. A interpretação cristã protestante evangélica contemporânea atribui esses símbolos e a profecia do capítulo nove da Revelação ao Islamismo.

“Maomet tinha "fumo' reservado para o mundo naquele "poço do abismo'. "Fumo", diz a revelação, “como o fumo duma grande fornalha”. Que fumo era êsse? Era um "fumo" que escureceu o sol e o ar'. Mas, "o sol e o ar", aqui, são simbólicos; são uma referencia ao Sol da Justiça – Cristo –que através do verdadeiro cristianismo, ilumina o mundo.

Êste "fumo" mortífero é a religião maometana fundada por Maomet que emanou da Arábia. Um "fumo' que escureceu o "sol" dajustiça de Cristo e o "ar" do evangelho da Sua graça, para milhões de habitantes do mundo em dilatadas extensões. Há plausível diferença entre o cristianismo e o maometanismo, já no fato de que o primeiro é representado nas profecias como uma luz que desceu do céu, enquanto o segundo como um "fumo" pestilento e sufocante que emanou - do poço do abismo” (MELLO, 1959).

Deus não deixou a humanidade cega quanto a qualquer movimento filosófico ou religioso que conduzisse o planeta a perdição; as advertências quanto ao islamismo abrangem Duas Trombetas (profecias das 7 trombetas) e dois capítulos inteiros (cap. 08 e 09) descrevendo a origem e os movimentos Islâmicos na história.

“0 "Korão", livro sagrado do maometanismo é um sistema de erros de falsa inspiração atribuído a Maornet. Os adeptos do embusteiro profeta, no entanto, acreditam cegamente que o livro não é obra pessoal dêle, mas que reproduz fielmente as palavras divinas transmitidas pelo anjo Gabriel, durante mais de vinte anos, ora em Meca, ora em Medina. - Mas a própria tradição não se harmoníza com esta crença.



"Os ensinos do "Korão" negam a divindade do Filho de Deus e colocam Maomet: acima dÊle; negam a morte expiatória de Cristo e a obra regeneradora do Espírito Santo; não encaram o pecado como tal e a necessidade de perdão como indispensável. Negam, enfim, todo o plano da salvação como revelado no Evangelho de Cristo.

"Além de ser constituído de preceitos religiosos que contrariam as Sagradas Escrituras, é um livro imoral, pois contém "evocações e promessas do mais requintado sensualismo", "e da poligamia". 0 próprio profeta árabe era imoral e polígamo. Na verdade a Arábia foi o “Poço” que Maornet abriu e donde emanou sôbre o mundo cristão o "fumo" duma religião imoral inventada, como se fora uma revelação destinada a substituir todos os credos incluso o cristianismo” (MELLO, 1959).

O PLANETA NOVAMENTE, SOB RISCO NUCLEARES

“Iraram-se, na verdade, as nações; então veio a tua ira, e o tempo de (...) destruíres os que destroem a terra” Apocalipse 11:18.

O Apocalipse afirma que o movimento Divino em direção ao Planeta para dar fim a história humana, ocorre diante do iminente perigo de destruição dos humanos. Depois de 60 anos da guerra nuclear, e 30 anos de Guerra Fria, o planeta novamente sofre ameaças de destruição em massa por bombas nucleares. A partir de um confronto entre o mundo ocidental e oriental, as ameaças terroristas se tornam insignificantes diante das ameaças nucleares dos líderes mundiais.

“O presidente francês, Jacques Chirac, disse que a França poderia usar armas nucleares contra qualquer Estado que lançar um atentado terrorista contra o país. Acredita-se que atual arsenal nuclear francês conte com menos de 350 armas.

Ele disse que as armas nucleares francesas estão configuradas para um evento como este.A França tem um arsenal nuclear para evitar ataques desde 1960, depois de um programa de armas ordenado pelo presidente Charles de Gaulle.

Em visita à base militar, Chirac disse que os líderes de Estado que "usariam meios terroristas contra nós, como qualquer outra pessoa que avente a possibilidade, de uma ou outra maneira, de usar armas de destruição em massa, precisam entender que eles iriam se expor a uma resposta firme e adaptada de nossa parte".

"Em vários países, idéias radicais estão se espalhando, defendendo um confronto de civilizações", disse ele, acrescentando que "ataques cheios de ódio" poderiam escalar para "uma outra forma ainda mais séria de envolver outros países". (BBC)

O confronto é inevitável, pois o fundamento desta guerra é o confronto entre religiões; advogando uma guerra santa, tanto ocidente e oriente lutam contra, cada um imagina ser o Mal. Os EUA tentando cumprir o destino profético de Israel, tenta proteger a nação desposada por Jeová, e insiste em lhe devolver as terras e um estado soberano. Os Palestinos por sua vez ameaçam Israel e todas as nações ocidentais e capitalistas, prometendo destruição aos hereges. Advogam que em nome de Alah, retomarão suas terras.

“O presidente Ahmadinejad (do Irã) estava se dirigindo a uma audiência de estudantes iranianos conservadores em uma conferência em Teerã, às vésperas de um ato público pró-palestino que se realiza sempre na última sexta-feira do Ramadã, o mês sagrado dos muçulmanos”; quando disse que iria "varrer Israel" do mapa. “Uma coisa é o Irã se recusar a admitir o Estado de Israel de existir. Outra bem diferente é aplaudir a perspectiva de uma nova onda de ataques palestinos”. Essa declaração foi feita “horas depois de um atentado a bomba suicida de militantes palestinos contra civis israelenses”.

O governo de Teerã disse que os lacres que foram colocados para evitar as pesquisas em suas instalações nucleares – há dois anos – serão retirados. "O Irã vai reiniciar suas pesquisas como estava previsto", disse Gholamhossein Elham, um porta-voz do governo iraniano. (BBC)

A profecia do Apocalipse esta prestes a se concluir; um Deus Soberano e irado com os governantes irresponsáveis deste planeta, esta preste a retornar a esse mundo dando fim ao terrorismo, as guerras, às mortes e carnificina, usando o Seu Santo nome como pretexto.

ENCICLICA PAPAL

O Líder dos católicos divulga sua primeira Encíclica papal e demonstra quão frágil é sua pregação, revelando falsidade e filosofia cristã barata. "Deus é amor" (Deus caritas est), é a 294ª da história da Igreja Católica, que no curso dos últimos dois séculos publicou numerosos documentos sobre importantes questões religiosas, políticas e morais.


Dias antes de divulgar 1 milhão de cópias de sua Encíclica o Vaticano decidiu que as editoras que publicaram a encíclica do papa Bento XVI, a ser divulgada nesta quarta-feira, deverão pagar direitos autorais, segundo um comunicado divulgado hoje pela Livraria Editorial Vaticana.

A nota lembra que a Livraria Editorial Vaticana tem "explicitamente" encomendados "a tutela e o exercício dos direitos autorais sobre os textos de todas as obras de magistério do Máximo Pontífice".

O lucro que o Vaticano terá com 1 milhão de cópias desta Encíclica será fabuloso. Mas a Igreja Católica já vendeu perdão dos pecados (indulgências), vagas no céu e até retirava as pessoas do purgatório (inferno) por grandes somas de dinheiro...

O incrível porém é o conteúdo da Encíclica; no documento, o papa faz uma distinção entre o amor erótico entre homem e mulher, e o amor idealizado e sem egoísmo. Ele também explica como amor significa caridade cristã – dar aos necessitados –, particularmente nos países em desenvolvimento.

No entanto para pregar a palavra de Deus, ele cobra direitos autorais; países em desenvolvimento terão de pagar da mesma forma que os paises ricos para ler um sermão onde Bento 16 analisa o “amor entre homem e mulher”, sem nunca ter tido uma relação conjugal...

A igreja católica passa dos limites da razão do homem, colocando o raciocínio de seus fiéis abaixo do que eles mesmo poderiam aceitar, mas como se trata de crenças, os fiéis dizem amem para tudo que lhes é colocado. Nunca um movimento religioso foi tão criticado, denunciado e exposto como o catolicismo.

Pervertedores da pura doutrina Bíblica, as bases do catolicismo estão na distorção e invenção.

 Suas principais doutrinas são criadas sem base escriturísticas da Bíblia:

1.Jesus é apresentado ao crente na cruz (porém Ele ressucitou – Romanos 10:9)

2.Maria é a intercessora (porém Jesus subiu ao céu para interceder – Hebreus 4:16)

3.O perdão dos pecados seria por penitencia (o perdão é de Graça – I João 2:1 e 2)

4.A confissão é feita a humanos (a confissão deve ser feita a Jesus – Hebreus 4:14)

5.O celibato dos Ministros (NUNCA foi ordenado aos Bispos o celibato – “É necessário, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma só mulher” I Timoteo 3:2)

6.Batismo de crianças (o batismo é de adultos e por imersão - Marcos 1:9; Atos 8:38)

7.Idolatria de imagens de santos (as imagens são proibidas - Êxodo 20:4; Oseias 4:2)

8.Pagamento de Promessas (as dádivas são de Graça ao crente – Mateus 7:8 e 9)

9.A salvação pode ser comprada, até por terceiros (a salvação é pessoal e de Graça – Efésios 2:8 e 9; Romanos 6:23)

10.Os papas são os substitutos de Jesus (Jesus deixou o Espírito Santo como seu substituto – “e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos” Mateus 28:20 / “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Ajudador, para que fique convosco para sempre.” Joãos” 14:16

Não há uma só doutrina católica que seja correta escriturísticamente.

São muitas as inverdades; piores as falsidades como esta Encíclica, cobrada a peso de ouro aos fiéis...

O SEGUNDO PODER

Apocalipse 13 retrata dois poderes político-religiosos atuando no Tempo do Fim, em nossos dias.

Eles são representados por animais ou ‘bestas’, pois dentro da simbologia profética, animais são reinos – “Então, ele disse: O quarto animal será um quarto reino na terra, o qual será diferente de todos os reinos; e devorará toda a terra, e a pisará aos pés, e a fará em pedaços”. Daniel 7:23

O quarto reino da profecia de Daniel é o mesmo reino de Apocalipse 13; um reino político-religioso que devorou a história humana, deixando-a em trevas durante toda a idade média; a Igreja Católica, que alem da Teologia opressiva, exerceu o domínio sobre reis e as nações da Europa.

Mas em Apocalipse existe um segundo reino que é descrito – “Exerce toda a autoridade da primeira besta na sua presença. Faz com que a terra e os seus habitantes adorem a primeira besta, cuja ferida mortal fora curada” v. 12 – os EUA, como aquele que dá continuidade, á opressão política sobre as nações e impõem a teologia pós-moderna do protestantismo apóstata.

Como isso pode estar se cumprindo?

“O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, iniciou neste domingo sua visita à China visitando uma das poucas igrejas cristãs que funcionam legalmente na capital chinesa, Pequim.

De acordo com um representante da Casa Branca, com a visita, Bush, que é evangélico, procurou mostrar seu apoio à liberdade religiosa na China.

Ainda neste domingo, o presidente americano tem uma reunião com o presidente chinês, Hu Jintao, em que a questão da liberdade de culto deve ser um dos assuntos em pauta.

Ele foi acompanhado pela mulher Laura à Igreja Gangwashi, e escreveu no livro de convidados: “que Deus abençoe os cristãos da China”

De acordo com um representante da Casa Branca, com a visita, o presidente dos EUA, que é evangélico, procurou mostrar seu apoio à liberdade religiosa na China. O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, pediu ao governo chinês que garanta maior liberdade social, política e religiosa aos cidadãos do país.

Visitou na China uma das poucas igrejas cristãs que funcionam legalmente na capital chinesa, Pequim.

De acordo com um representante da Casa Branca, com a visita, Bush, que é evangélico, procurou mostrar seu apoio à liberdade religiosa na China.

Ainda neste domingo, o presidente americano tem uma reunião com o presidente chinês, Hu Jintao, em que a questão da liberdade de culto deve ser um dos assuntos em pauta”.

“Seduz os que habitam sobre a terra por causa dos sinais que lhe foi dado executar diante da besta, dizendo aos que habitam sobre a terra que façam uma imagem à besta, àquela que, ferida à espada, sobreviveu” V.14.

Os esforços norte-americanos sempre estão dentro dos interesses do Vaticano; com a pretensão da Liberdade Religiosa, o líder americano espera que o cristianismo seja levado sob a espúria bandeira daquele país, onde a força militar de Cruzadas pós-modernas, como a que acontece no oriente Médio, tenta levar o mundo Oriental ao cristianismo.

Esse sempre foi o método da primeira besta (Igreja Romana) e a segunda besta (EUA) refaz sua imagem, de perseguidora, impositora e hostil.

O cristianismo nunca deve estar associado a qualquer forma de governo; o principio de separação de igreja e estado, é uma das colunas da reforma e do cristianismo verdadeiro.

Em breve veremos a parte final da profecia do Apocalipse se cumprir, onde um embargo econômico, liderado pelos EUA, impedirá a qualquer nação de comprar e vender, se não seguir a sua pretensa ´liberdade religiosa´ -

“A todos, os pequenos e os grandes, os ricos e os pobres, os livres e os escravos, faz que lhes seja dada certa marca sobre a mão direita ou sobre a fronte,para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tem a marca, o nome da besta ou o número do seu nome” V. 16 e 17.

Aliás essas já são as regras do capitalismo americano...

BUSH INCENTIVA IGREJA NA CHINA

Durante uma visita ao Japão antes de chegar à China, Bush havia pedido que a China permitisse mais liberdade à sua população e havia citado Taiwan, considerado por Pequim uma província rebelde, como exemplo bem-sucedido de transição da "repressão para a democracia".

Um porta-voz do governo chinês, entretanto, disse que os chineses "disfrutam de todas as formas de democracia e liberdade previstas na lei".

A igreja evangélica visitada por Bush é uma das cinco autorizadas a funcionar em Pequim. De acordo com Mike Green, diretor para assuntos asiáticos do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, o presidente americano visitaria a igreja não apenas porque é domingo.

"É também importante que o mundo veja e que o povo chinês veja que a expressão da fé é algo positivo para uma sociedade saudável e madura", disse.

QUE SINAIS SÃO ESTES?

Milhares de pessoas se reuniram em Ho Chi Minh (sul do Vietnan) para visitar e venerar uma estátua da Virgem Maria com uma lágrima em seu lado direito do rosto.


Essa estátua realmente está vertendo lágrimas do seu rosto, e as aparições de Maria realmente acontecem como um sinal em nossos dias. Não adianta negarmos fatos como estes em que milhares de pessoas vem por décadas presenciando as aparições, milagres e sinais.

Mas o que a Bíblia diz sobre as imagens de santos?

O que a Bíblia diz sobre sinais como este da estátua?

O que a autorizada Palavra de Deus diz sobre a veneração a Maria?

IMAGENS NOS CULTOS

Toda e qualquer conceituação religiosa deve estar fundamentada nas escrituras; o que a Bíblia declara sobre imagens, estátuas de fins religiosos e esculturas de pedra e madeira?

“Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o SENHOR, teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamento” Deuteronômio 20:4-6.

Deus declara enfaticamente que os humanos não deveriam fazer imagens e esculturas para o culto ou adoração. O costume de ter imagens dentro das igrejas onde ocorre os cultos, é contra a Vontade Divina.

O mandamento é claro em afirmar que nem imagens do próprio Deus (“que está em cima nos céus”) nem imagens de pessoas humanas (“nem embaixo na terra”), não deveriam ser feitas para o culto ou adoração. Imagens do próprio Jesus ou dos apóstolos não deveriam ser feitas.

A doutrina Bíblica contra imagens é muito extensa e as condenações para a prática do culto com elas ocorrem às dezenas na Bíblia – “Todo homem se tornou estúpido e não tem saber; todo ourives é envergonhado pela imagem que ele mesmo esculpiu; pois as suas imagens são mentira, e nelas não há fôlego” Jeremias 10:14.

SINAIS SOBRENATURAIS

A Bíblia não se contradiz. Se os escritos afirmam que Deus não se agrada desta forma de culto e o mandamento condena a prática, jamais poderíamos esperar que Deus usasse um meio como este para operar sinais, prodígios e milagres.

Como estão acontecendo estes sinais então?

“operando grandes sinais e prodígios para enganar, se possível, os próprios eleitos” Mateus 24:24 .

Os sinais e prodígios para ENGANAR são uma característica do tempo do fim, que Jesus chamou a atenção.

Sinais sobrenaturais NÃO SÃO evidencias da operação Divina ou dos meios Divinos para revelar-se ao homem. Quando Deus se utiliza de meios sobrenaturais, Ele NUNCA contraria os princípios ou mandamentos da Sua Palavra.

Jesus mesmo parafraseou um alerta quanto ao uso de sinais - "Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade" Mt 7:22 e 23.

Jesus declarou como falsos três grandes sinais que são usuais nas igrejas pentecostais:
1. Profetizar
2. Expelir demônio
3. Cura

"Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus" Mt 7:21. A indicação da verdadeira religião é a obediência à Palavra e não Sinais.

Um dos alertas do apostolo Paulo para a operação do mal, é destacado através de sinais e prodígios – “Ora, o aparecimento do iníquo é segundo a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais, e prodígios da mentira” 2 Tessalonicenses 2:9.

Paulo aqui desmascara a origem dos sinais nas igrejas que pretendem ser cristãs - "segundo a eficácia de Satanás".

Cuidado para não escolher sua igreja através dos sinais...

MARIA COMO MEDIADORA E OPERADORA DE SINAIS

Desde cedo Jesus teve de restringir a falsa crença das virtudes de Maria, pelo fato dela ter sido a mulher escolhida para gerar o Messias – “Uma mulher, que estava entre a multidão, exclamou e disse-lhe: Bem-aventurada aquela que te concebeu, e os seios que te amamentaram!

Ele, porém, respondeu: Antes, bem-aventurados são os que ouvem a palavra de Deus e a guardam!” Lucas 11:27 e 28. Jesus destacou aqui mais a obediência ao mandamento Divino do que a veneração a Maria.

O famoso episódio das Bodas de Cana e a declaração de Jesus a Maria, tem sido atenuado como uma declaração respeitosa, mas na realidade é uma inserção de Jesus diante de sua mãe para que ela não interferisse nos negócios Dele o Messias e o Pai Celestial – “Mas Jesus lhe disse: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora” João 2:4.

Maria ansiava o reconhecimento dos Fariseus e da igreja Judaica, porem Jesus em sua Sabedoria sabia que os caminhos do Pai eram outros.

Jesus mesmo não reconhecia a influencia de sua família de sangue, pois eles se opunham à Sua obra e não acreditavam Nele – “Falava ainda Jesus ao povo, e eis que sua mãe e seus irmãos estavam do lado de fora, procurando falar-lhe.E alguém lhe disse: Tua mãe e teus irmãos estão lá fora e querem falar-te. Porém ele respondeu ao que lhe trouxera o aviso: Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?E, estendendo a mão para os discípulos, disse: Eis minha mãe e meus irmãos.Porque qualquer que fizer a vontade de meu Pai celeste, esse é meu irmão, irmã e mãe” Mateus 12:46-50.

Novamente Jesus valoriza a obediência acima de qualquer vínculo a Maria, Tiago e outros que pretendiam saber o melhor para Sua missão ou obra aqui na terra.

Jesus é o centro das Escrituras e todas Profecias gravitam em torno dEle. O que é construido além disso é pura tradição e não tem peso escriturístico.

MARIA NO CÉU?

Maria como os demais apóstolos não são descritos nos relatos bíblicos como sendo levados para o céu, para interceder pelos homens.

A Bíblia não afirma que os humanos que morrem vão para o céu – “Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco terão eles recompensa, porque a sua memória jaz no esquecimento.Amor, ódio e inveja para eles já pereceram; para sempre não têm eles parte em coisa alguma do que se faz debaixo do sol” Eclesiastes 9:5.

“Os mortos não louvam o SENHOR, nem os que descem à região do silêncio” Salmos 115:17.

Maria está morta, assim como todos os apóstolos. Não há uma só menção a Maria em todo o Novo Testamento com exceção dos relatos históricos dos evangelhos.

A mulher de Apocalipse 12 descritas nas profecias deste livro é indicada por muitos como sendo Maria, mas o Apocalipse não afirma isso. A simbologia deste livro é muito evidente e especialmente neste capítulo são descritos dois personagens – o dragão e uma mulher.

O dragão é um simbologismo e no mesmo capítulo isso é declarado – “E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo, sim, foi atirado para a terra, e, com ele, os seus anjos” Apocalipse 12:9.

A mulher também é um simbologismo para a igreja – “Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela, para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, porém santa e sem defeito... Grande é este mistério, mas eu me refiro a Cristo e à igreja” Efésios 5: 25 e 32.

Como já declaramos, sinais sobrenaturais não são evidencia de que eles são de origem Divina.

Se estão diretamente contrários aos princípios ou mandamentos da Palavra de Deus, consistem em um engano ou mentira. As lágrimas da estátua podem ser reais, mas não são de Maria ou de origem Divina.

“Ora, o aparecimento do iníquo é segundo a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais, e prodígios da mentira” 2 Tessalonicenses 2:9.

DORES DE PARTO

“Quando andarem dizendo: Paz e segurança, eis que lhes sobrevirá repentina destruição, como vêm as dores de parto à que está para dar à luz; e de nenhum modo escaparão”. 1 Ts 5:3

Os Sinais que Jesus deixou para a sua volta gloriosa a este planeta, estão cada vez mais evidentes e constantes. Como as contrações de uma parturiente, são os sinais em nossos dias anunciando a Vinda Do Filho do Homem em Glória e Majestade.

“Uivai, pois está perto o Dia do SENHOR; vem do Todo-Poderoso como assolação. Pelo que todos os braços se tornarão frouxos, e o coração de todos os homens se derreterá. Assombrar-se-ão, e apoderar-se-ão deles dores e ais, e terão contorções como a mulher parturiente; olharão atônitos uns para outros; o seu rosto se tornará rosto flamejante”. Isaias 13:6-8

Terremotos, Maremotos, Furacões e Guerras sempre houveram (argumentam os céticos) mas esses são os sinais que Jesus deixou para a Sua intervenção na história humana.

“Então, lhes disse: Levantar-se-á nação contra nação, e reino, contra reino; haverá grandes terremotos, epidemias e fome em vários lugares, coisas espantosas e também grandes sinais do céu.Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas; sobre a terra, angústia entre as nações em perplexidade por causa do bramido do mar e das ondas; haverá homens que desmaiarão de terror e pela expectativa das coisas que sobrevirão ao mundo; pois os poderes dos céus serão abalados. Então, se verá o Filho do Homem vindo numa nuvem, com poder e grande glória”. Lucas 21: 10 e 11; 25-27

Como as contrações de uma parturiente, os sinais se tornam cada vez mais freqüentes e fortes. Só no início deste novo século fomos surpreendidos por eventos que sacudiram a humanidade – a explosão do terrorismo (“os homens que desmaiarão de terror”); 100.000 mortos pelo maremoto (“perplexidade por causa do bramido do mar e das ondas”); a destruição dos furacões e terremotos (“poderes dos céus serão abalados”).

A natureza parece estar fora de controle, e foram esses os sinais que Jesus deixou para os humanos, sinais da naturais, que não podem ser manipulados pelo homem, mas que indicam um evento grandioso a eclodir.

“Assim também, quando virdes acontecerem estas coisas, sabei que está próximo o reino de Deus. Então, se verá o Filho do Homem vindo numa nuvem, com poder e grande glória”. Lucas 21: 27 e 31

MUÇULMANOS SOFREM COM TERREMOTO

No mês do Ramadã, o mês sagrado do Islã, as nações muçulmanas sofrem com um terremoto que já fez 40.000 vítimas (2006).


Desde a invasão do Paquistão pelos EUA, já houve 3 grandes terremotos neste país, sendo esse o pior de todos.

Considerado o quartel general do terrorismo mundial, o Paquistão parece estar sofrendo o Juízo Divino pelas atrocidades que financia ou alberga através da manutenção de terroristas em seu território.

O livro dos Salmos fala muito sobre os tremores de terra, e no salmo 68 é revelado que a presença Divina contra seus inimigos se manifesta através do tremor na terra:

1 Levanta-se Deus; dispersam-se os seus inimigos; de sua presença fogem os que o aborrecem.

2 Como se dissipa a fumaça, assim tu os dispersas; como se derrete a cera ante o fogo, assim à presença de Deus perecem os iníquos.

8 tremeu a terra; também os céus gotejaram à presença de Deus; o próprio Sinai se abalou na presença de Deus, do Deus de Israel.

O que estamos vivenciando em nossos dias é uma batalha da grande guerra do Bem contra o Mal. Embora sejam humanos como nós, com famílias e crianças, o Islã se constitui o oponente do Cristianismo a Séculos.

O oponente não se encontra nas pessoas, mas na força que está atrás de suas crenças. O Apocalipse se refere ao surgimento desta crença como – “o poço do abismo, e subiu fumaça do poço como fumaça de grande fornalha, e, com a fumaceira saída do poço, escureceu-se o sol e o ar”. Apocalipse 9:2

Essa é a descrição do Islamismo surgindo como nação religiosa.

No mês sagrado de comemorações, e em plena batalha do Islã contra o Cristianismo, (leia-se terrorismo) as nações desde o Oriente médio até o sul da Ásia sentem um abalo em seus fundamentos e crenças.

Precisamos entender o contexto cósmico em que estão inseridos todos esses eventos catastróficos que se passam no planeta; muito está ainda por vir. A grande batalha terminará como o Armagedom a grande batalha final do Deus Todo-poderoso com as forças do Mal.

O Salmo 18 descreve assim as forças opositoras de Deus diante da descrença e maldade do homem:

7 Então, a terra se abalou e tremeu, vacilaram também os fundamentos dos montes e se estremeceram, porque ele se indignou.

8 Das suas narinas subiu fumaça, e fogo devorador, da sua boca; dele saíram brasas ardentes.

9 Baixou ele os céus, e desceu, e teve sob os pés densa escuridão.

13 Trovejou, então, o SENHOR, nos céus; o Altíssimo levantou a voz, e houve granizo e brasas de fogo.

14 Despediu as suas setas e espalhou os meus inimigos, multiplicou os seus raios e os desbaratou.

TERREMOTO NOS EVENTOS DO FIM

O Apocalipse cita 8 vezes esse fenômeno natural em suas descrições dos eventos escatológicos descrevendo a história humana.

Terremotos são claramente usados na profecia para determinar uma intervenção emergente de Deus na história degradante dos homens na terra – “Naquela hora, houve grande terremoto, e ruiu a décima parte da cidade, e morreram, nesse terremoto, sete mil pessoas, ao passo que as outras ficaram sobremodo aterrorizadas e deram glória ao Deus do céu”. Apocalipse 11:13

Sem dúvida é um evento para chamar a atenção do homem para dar “glória ao Deus dos céus”, para levar a humanidade impenitente, que segue um curso de maldade, a se voltar ao seu Criador Soberano.

“Os outros homens, aqueles que não foram mortos por esses flagelos, não se arrependeram das obras das suas mãos, deixando de adorar os demônios e os ídolos de ouro, de prata, de cobre, de pedra e de pau, que nem podem ver, nem ouvir, nem andar.” Apocalipse 9:20

Deus permite o abalo dos nossos fundamentos para levar-nos ao ARREPENDIMENTO, usa seu arsenal de elementos naturais para despertar aqueles que estão mortos em pecado. Iludidos pelo Islã, Budismo, Xintoismo e centenas de outras crenças espirituais, os homens são sacudidos de seu sono, para despertarem e darem Glória ao Deus Eterno.
Dentre os muitos sinais deixados por Jesus para a Sua Volta à Terra, e para o fim do mundo estão os Terremotos – “Então, lhes disse: Levantar-se-á nação contra nação, e reino, contra reino; haverá GRANDES TERREMOTOS, epidemias e fome em vários lugares, coisas espantosas e também grandes sinais do céu”. Lucas 21: 10 e 11
Descrevendo as cenas finais o Apocalipse afirma que a história humana vai terminar com um grande terremoto “qual nunca houve”, e veremos o Senhor dos Exércitos se aproximar em uma nuvem Gloriosa; a terra vai vacilar, tremer e soçobrar diante da Sua presença – VOCÊ ESTÁ PREPARADO?
“E sobrevieram relâmpagos, vozes e trovões, e ocorreu grande terremoto, como nunca houve igual desde que há gente sobre a terra; tal foi o terremoto, forte e grande”. Apocalipse 16:18.

O DOMINGO DOS PAPAS

“O Papa Bento XVI pediu aos católicos que voltem a freqüentar a missa: "Gostaria de pedir aos fiéis que santifiquem com alegria o 'dia do Senhor', o domingo, dia sagrado para os cristãos", disse o Papa a milhares de peregrinos reunidos no pátio de sua residência de verão, em Castelgandolfo, perto de Roma.

Os católicos deveriam assistir à missa todos os domingos e nas festas religiosas, mas a participação dos fiéis na celebração da eucaristia não pára de diminuir, apesar das recomendações dos bispos.” (2000 Agence France-Presse)


A reivindicação do Líder Católico do Domingo como dia do Senhor Jesus, é uma farsa.

Em todo Novo Testamento não há uma só referência ao domingo ou primeiro dia da semana como um dia santificado pelos primeiros cristãos.

O cristianismo era essencialmente uma religião que seguia os moldes judaicos e não se separou radicalmente dos princípios dessa dispensação.

Em Atos 2:46 “Diariamente perseveravam unânimes no templo” – revela a continuidade doutrinária que os primeiros cristãos seguiam, não abdicando da instituição judaica que o próprio Jesus seguira.

Elementos como o Sábado, as escrituras, a doxologia, as leis sociais, de saúde e moral nunca foram abdicadas da prática cristã primitiva.

O próprio Paulo, o apostolo revolucionário seguia os moldes judaicos-cristãos para sua relação com a igreja em Jerusalém – “Então, Paulo, tomando aqueles homens, no dia seguinte, tendo-se purificado com eles, entrou no templo, acertando o cumprimento dos dias da purificação, até que se fizesse a oferta em favor de cada um deles”. Atos 21:26

O próprio Paulo ao ser confrontado sobre sua suposta rebeldia aos fundamentos judaicos argumentou: “e que não me acharam no templo discutindo com alguém, nem tampouco amotinando o povo, fosse nas sinagogas ou na cidade (...) Porém confesso-te que, segundo o Caminho, a que chamam seita, assim eu sirvo ao Deus de nossos pais, acreditando em todas as coisas que estejam de acordo com a lei e nos escritos dos profetas”. Atos 24 12-14

Paulo acreditava ser o Judaismo e os ensinos da Lei e dos Profetas estarem de acordo com a nova dispensação Cristã. Afinal Jesus era o cumprimento das profecias para Israel e os Judeus.

Paulo mesmo, especificamente, adorava o Senhor Jesus no sábado – “No sábado, saímos da cidade para junto do rio, onde nos pareceu haver um lugar de oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que para ali tinham concorrido”. Atos 16:13

Todos os princípios Vetero-testamentários, sejam hebraicos, israelitas ou judaicos eram a base do cristianismo primitivo. Atos 13:44 “No sábado seguinte, afluiu quase toda a cidade para ouvir a palavra de Deus” – o próprio Velho Testamento foi a Palavra de Deus durante os quatro primeiros séculos antes da formação do cano do Novo testamento.

O domingo só se tornou por tradição o dia do senhor (falso) a partir do Terceiro Século com a nomeação de Constantino, o Imperador , como o líder da Igreja Católica, agora Romana por adesão do mesmo Imperador.

Este dia foi publicado como santificado por vias da tradição, por associação pagã ao dia do sol, que Constantino adorava. A adequação do domingo como dia de adoração pela ressurreição de Jesus, não é sequer mencionada no Novo Testamento, ou associada a ensinos dos apóstolos.

Tratando-se de uma tradição nos reportamos às palavras de Jesus: “Negligenciando o mandamento de Deus, guardais a tradição dos homens”. Marcos 7:8

QUEM FOI O PRIMEIRO PAPA?

A Igreja Católica pretende que Pedro foi o primeiro Papa, e que a sucessão deste aos seus Bispos e Papa é de origem escriturística. Mas não é isso que o Novo testamento relata.


Tiago o irmão de Jesus se converteu após a morte do Senhor que apareceu a ele (“Jesus foi visto por Tiago, mais tarde, por todos os apóstolos” 1 Coríntios 15:7) e se tornou por herança, o líder da igreja primitiva. Aos apóstolos parece ter parecido mais sábio que a liderança do cristianismo fosse concedida ao irmão do Senhor Jesus – “No dia seguinte, Paulo foi conosco encontrar-se com Tiago, e todos os presbíteros se reuniram”. Atos 21:18

Na primeira grande questão que a igreja enfrentou (sobre os gentios) , foi Tiago que deu a palavra final na reunião dos apóstolos e bispos em Jerusalém – “Depois que eles terminaram, falou Tiago, dizendo: Irmãos, atentai nas minhas palavras” .Atos 15:13

Paulo reconhecia, em suas cartas, a Tiago, Pedro e João como as colunas, a liderança da igreja cristã – “e, quando conheceram a graça que me foi dada, Tiago, Cefas e João, que eram reputados colunas” . Gálatas 2:9

A própria carta de Tiago e sua saudação é de um líder cristão a todas as igrejas espalhadas pelo império – “Tiago, servo de Deus e do Senhor Jesus Cristo, às doze tribos que se encontram na Dispersão, saudações”. Tiago 1:1

Ainda na sua carta Tiago orienta aos judeus-cristãos conversos que em suas sinagogas recebam bem a todos sem acepção – “Se, portanto, entrar na vossa sinagoga algum homem” Tiago 2:2 , procedendo como Bispo de todas as igrejas judaico-cristãs.

O Papado é baseado em três erros fatais:

1. Pedro sendo o primeiro Papa

2. Celibato dos Bispos e Papas

3. Pretensão de Vicário de Cristo

Além de uma distorcida compreensão sobre a origem do bispado (em Pedro, e na forma de papa), o erro mais sórdido é o celibato, que tem levado a pecados sexuais na sua liderança; é um princípio anti-biblico, abusivo e opressor – “Porque é indispensável que o bispo seja alguém que seja irrepreensível, marido de uma só mulher, que tenha filhos crentes que não são acusados de dissolução, nem são insubordinados”. Tito 1: 6 e 7 e ainda: “Os Bispos sejam maridos de uma mulher e governem bem seus filhos e suas próprias casas.” I Timoteo 3:12

O pior dos erros é a pretensão de ser o Vicário (substituto) de Jesus na terra; aquele que supostamente seria a ponte entre o céu e a terra, intercessor dos os homens diante de Deus. Anulando o Ministério Sacerdotal de Jesus no Santuário Celestial, o Pontífice (como gosta de ser entitulado) e suas missas se colocam entre o penitente e o Salvador Jesus – “E, por isso, é mediador de um novo testamento, para que, intervindo a morte para remissão das transgressões que havia debaixo do primeiro testamento, os chamados recebam a promessa da herança eterna” Hebreus 9:15

O papa Leão XIII postulou em 1898: “Os sacrifícios do Velho Concerto eram sombras do futuro sacrifício da Cruz muito antes já do nascimento de Cristo. Após a Sua ascensão ao céu, um sacrifício idêntico continuou na missa... Nosso Divino Redentor quis que o sacrifício consumado uma vez na cruz se prolongasse para sempre. E isto é feito através da missa.” (Encyclical Caritatis Studium, 25 de julho de 1898).

Nada na terra pode operar em favor do homem caído, pecador. Somente há um caminho, e este não é o proposto pelo catoliscismo –Porque há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem” 1 Timóteo 2:5.

RELEMBRANDO 11 DE SETEMBRO

Nove anos após o ataque terrorista aos EUA, o mundo tenta avaliar e entender o que aconteceu em New York. Mas teremos de regredir muito mais do que nove anos para entender o que isso tudo significa. A história se repete, porque os homens e seus desígnios são os mesmos.

O que presenciamos na historia militar contemporânea já se passou com outra nação do passado.

Acima de todo este cenário político-militar esta a Soberania de Deus, que castiga as nações e lhes impõem seus desígnios, mesmo que esta seja uma super-potencia como os EUA.

O Apocalipse revela nas profecias das Trombetas (VEJA EM www.apocalipserevelado.zip.net) que a estratégia de atacar grandes nações opressoras é um antigo método Divino.

A história descreve assim a invasão terrorista das tribos bárbaras na Europa e na cidade de Roma:

“Depois de prolongado sitio, penetrou ali (24 de agosto de 409), por traição de alguns escravos, passando por debaixo dos arcos triunfais que sete anos antes tinham sido levantados para celebrar a completa destruição da sua raça. Dêste modo a cidade dos Césares, depois de haver pelo espaço de mil cento e sessenta e três anos saqueado o mundo, achou-se entregue como prêsa ao furor dos bárbaros.

"Contudo Alarico mandou que se poupasse o sangue e fôssem respeitadas as igrejas de S. Pedro e S. Paulo. O saque nem poupou os primores artísticos nem as roupas menos luxuosas dos particulares. No longo séquito de carros que acompanhava o exército godo, acumulavam-se o ouro, as jóias e as pedras preciosas, atiradas para ali em monte com mesas de prata, tapetes e túnicas de sêda.

"0 ignaro camartelo dos bárbaros deitou por terra vasos magníficos, estátuas admiráveis, porque todo o seu afinco estava em descobrir tesouros, que supunha enterrados. As chamas fizeram desabar muitos palácios, e foram degolados muitos homens e mais ainda reduzidos à escravidão, deduzidos os que puderam ser resgatados pelo afeto dos parentes ou pela caridade religiosa. Não faltaram virgens nem nobres matronas que tivessem de recorrer ao suicídio para escapar à desonra".

"Ao cabo de seis dias, os godos evacuaram a cidade e dirigiram-se pela Via Ápia para a Itália meridional, saqueando e submetendo um pais que lhe oferecia quanto pode seduzir um conquistador, sem apresentar nada do que pode infundir-lhe receio.

"Numerosos italianos se haviam refugiado nas terras mais distantes, uns nas ilhas ou na África, outros no Egito, em Constantinopla, em Betleém, e os que tinham conseguido subtrair alguma coisa à assolação socorriam os outros. Alguns dêstes exilados foram acolhidos por Crisóstomo, que os consolou; condoendo-se de tantas misérias, julgava ver o cumprimento das profecias e pensava que o fim do mundo estava próximo, pois que sucumbia Babilônia, a grande prostituta do Apocalipse."

"O acampamento dos godos estava apinhado de cidadãos e matronas ilustres, agora escravos e miserável ludíbrio da sorte, que se viam obrigados a servir o vinho das terras que já lhes não pertenciam à grosseira gente do norte. Refestelados à sombra dos plátanos e loureiros dos jardins de Cicero e de Lúculo, os bárbaros desfrutavam as delicias do formoso céu da Itália, prontos para novos combates e novas carnificinas."

O império romano caiu enfraquecido por ataques dos bábaros e serracenos; tribos nômades cosquintaram o grande império que havia reinado por quase seis séculos.

Hoje quando vemos grupos terroristas atacando a maior potência militar do planeta, podemos imaginar o que foi no passado a Europa aterrorizada pelos ataques daquelas tribos bárbaras.

E a história se repete.

ATOS TERRORISTAS NA PROFECIA

As profecias das Trombetas apresentam atos Terroristas da mesma forma, contra Roma (o Império que dominava a Europa). Quatro tribos bárbaras atacaram o grande e poderoso Império de Roma. Em comparação ao poder romano essas tribos eram como o arsenal militar dos EUA, contra um punhado de terroristas nômades.

1ª Trombeta – Ataque dos Visigodos; Alarico rei dos Visigodos ataca a Itália e invade Roma, e a profecia assim descreve seu ataque – “e houve saraiva e fogo misturado com sangue, e foram lançados na terra, que foi queimada na sua terça parte; queimou-se a terça parte das árvores, e toda a erva verde foi queimada” Apocalipse 8:7. Imagine uma cidade como a Roma antiga sendo invadida e você terá a exata imagem da profecia.

2ª Trombeta – O ataque dos Vândalos foi o próximo ato terrorista contra a impiedosa Roma que perseguia os cristãos e oprimia as nações. Genserico rei dos Vândalos invade pelo mar e destrói uma esquadra inteira dos navios romanos, deixando uma cena de destruição, como hoje vemos nos ataques terroristas (Apocalipse 8:8).

3ª Trombeta – Roma não se apercebeu como um poder militar superior “O Senhor dos Exércitos” conduzia o enfraquecimento do império, e continuou com sua opressão e atrocidades. Átila Rei dos Hunos (O Açoite de Deus) foi enviado para fazer o maior dos estragos na Itália.

4ª Trombeta – Foi Odoacro, Rei sucessor dos Hunos que levou a queda do império romano ocidental. Invasões, destruição e terror foram o destino de uma nação opressora, cruel e perseguidora.

5ª Trombeta – A nação romana ainda de pé, através do Papado e sua união com os Reis Franceses (Carlo Magno e outros) ainda oprimia o povo de Deus. Os Árabes invadiram Roma e fizeram prisioneiro os Papas.

6ª Trombeta – Foram os Árabes sob a liderança de Otman que alcançaram o Império Oriental e acabaram para sempre com a opressão romana, e limitaram o braço do poder religioso papal.

Veja em: http://apocalipserevelado.zip.net/arch2005-01-23_2005-01-29.html

VOCÊ ACREDITA EM PROFECIAS?

Se não acredita, vai se surpreender com as profecias Hollywoodianas sobre as catástrofes nas cidades da América do norte.

Nova York já foi destruída uma meia-dúzia de vezes, sem mencionar outras cidades americanas alvos de vírus, terremotos, vulcões etc.

O que aconteceu em Nova Orleans (Furacão Katrina) é um retrato daquilo que os próprios norte-americanos pagaram para ver em todos esses anos: violência, crime, desastres naturais e desordem...

As noticias de barbárie que nos chegaram pelos tele-jornais, nós a vimos bem antes de acontecer nas telas de nossas TVs ou nos cinemas.

“Não porei coisa injusta diante dos meus olhos; aborreço o proceder dos que se desviam; nada disto se me pegará” Salmos 101:3.

O amor dos americanos pelas catástrofes, destruição e pelo mal está diante deles “ao vivo e a cores”. Se banquetear e ter prazer em cenas de violência e destruição levam a uma distanciação de Deus. As forças do mal vindicam a nação norte-americana.

“porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes” Efésios 6:12.

O mundo está perplexo com a impotência norte-americana diante do desastre natural; os EUA se apercebem que há algo bem superior do que suas forças militares.

Talvez Deus tenha permitido esses eventos grotescos assolarem uma cidade para salvar toda a nação; quando um povo se apega ao mal e tem prazer na violência, se afastam de Deus e as forças do mal imperam mostrando sua face maligna.

Os EUA estão sendo sacudidos, assim como a Europa foi sacudida na idade média pelas invasões bárbaras e pelas pestes que dizimaram milhões de vidas.

Uma nação em que o prazer e a diversão é o “american dream” , hoje sofre o pesadelo de suas escolhas.

As profecias profanas de Hollywood se cumprem e certamente cenas espetaculares ainda estarão sendo exibidas “ao vivo e a cores”; até quando?

“O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento” Oséias 4:6

SINAIS ATMOSFÉRICOS

Os sinais atmosféricos como eventos da profecia são muito abundantes no Apocalipse. O mais famoso de todos é o aquecimento do Sol relatado da seguinte forma: “O quarto anjo derramou a sua taça sobre o sol, e foi-lhe dado queimar os homens com fogo” Apocalipse 16:8.


Uma das grandes revelações do Apocalipse é o aquecimento gradual do Sol. O nosso planeta em seus últimos dias será abrasado por altas temperaturas. Esse fato tem suas implicações indiretas, mesmo antes de ocorrer.

O aumento da temperatura no planeta está causou uma seqüência de furacões nunca vista antes. Locais que jamais tinham sido alvo dos poderosos ventos (costa do Brasil) foram atingidos pelas tempestades marítimas.

Esses furacões (mares do hemisfério norte), ciclones (mares do hemisfério sul) e tornados (sobre o continente) são resultado do aumento da temperatura do planeta. Essa temperatura aquece os oceanos acima do normal, causando uma intensa evaporação, e fortes correntes ascendentes, com volumes extraordinários de vapor de água sendo levados para a atmosfera.

Os enormes sistemas atmosféricos de ventos que podem chegar a 280 km/hora e são resultado do aquecimento dos mares, gerado pelo aumento da temperatura do planeta.

Há outros fatores envolvidos através do aquecimento como o prejuízo na agricultura, derretimento das geleiras destruição da camada de ozônio, mudança da flora e fauna marítima, doenças de pele etc.

O que estamos presenciando em nosso planeta é o desenrolar de fatos preditos pela profecia e que nos conduzem a um desfecho na história da humanidade. O Apocalipse afirma que estes sinais são trazidos até aos homens para desperta-los e leva-los ao arrependimento – “Com efeito, os homens se queimaram com o intenso calor, e blasfemaram o nome de Deus, que tem autoridade sobre estes flagelos, e nem se arrependeram para lhe darem glória” Apocalipse 16: 9.

Os norte-americanos são advertidos novamente com um sinal. A nação mais poderosa do mundo se vê impotente diante dos fatos que lhe assolam; os atentados feitos por uma tribo nômade, e agora a natureza furiosa, são um alerta para uma nação que persegue o prazer, o entretenimento e a riqueza material.

O aquecimento do Sol, predito pelo Apocalipse, certamente tem mais efeitos indesejados a surgirem com o passar do tempo. Novas situações nos surpreenderão, e aqueles que perceberem a ação sobrenatural dos fatos terão uma oportunidade de arrependimento.

Por outro lado, aqueles que acham que isso não passa de um fenômeno natural, continuarão a seguir suas vidas alienados de Deus – “e blasfemaram o nome de Deus, que tem autoridade sobre estes flagelos, e nem se arrependeram para lhe darem glória” Apocalipse 16: 9.

SINAIS DA NATUREZA - FURACÕES

Entre os muitos sinais que Jesus deixou para a sua Segunda Vida e o Fim do Mundo, estão os eventos naturais. Jesus destacou esses sinais da natureza como especiais, ou que ocorrem fora do padrão normal do cotidiano.


O Evangelho de Lucas é o único a mencionar “o bramido do mar” como outro sinal da natureza, que Jesus deixou como um evento do Fim. No mesmo verso Jesus menciona o seguinte - “haverá homens que desmaiarão de terror e pela expectativa das coisas que sobrevirão ao mundo; pois os poderes dos céus serão abalados” Lucas 21:26 .

A expressão “poderes do céus abalados” tem sido muito discutida sobre seu significado; alguns acham que o fato do homem ter conquistado o espaço sideral, foi um cumprimento deste sinal; outros acham que se referem ao ambiente celestial em si.

O texto de Lucas escrito no original grego usa a palavra “ouranos” para “céus” e se refere ao céu atmosfésrico.
Os eventos naturais que temos visto através dos furacões (hemisfério norte), ciclones (hemsfério sul), tornados (sobre o continente) tufões (mares orientais) são um fenômeno provocado pela alteração natural dos “poderes” – “dunameis” – ou dinâmica natural dos elementos atmosféricos.

Os furacões, tufões e ciclones são formados sobre os oceanos. Eles se formam (normalmente) nas águas mornas próximas do equador, porque o imenso volume de águas aquecidas desta área dos oceanos se elevam em forma de vapor em volumes extraordinários e a uma velocidade proporcional à temperatura do Sol.

O constante aumento da temperatura do planeta tem levado a uma evaporação cada vez maior e volumes de vapor maiores; a velocidade dessas correntes ascendentes formam os Super-Sistemas de ventos de 200 a 240 km/hora.

Os poderes dos céus atmosféricos estão abalados. Mais um sinal se mostram estar se cumprindo em nossos dias.

“Assim também, quando virdes acontecerem estas coisas, sabei que está próximo o reino de Deus” Lucas 21:31 .

VENTOS DE DESTRUIÇÃO

“Depois disto, vi quatro anjos em pé nos quatro cantos da terra, conservando seguros os quatro ventos da terra, para que nenhum vento soprasse sobre a terra, nem sobre o mar, nem sobre árvore alguma. Vi outro anjo que subia do nascente do sol, tendo o selo do Deus vivo, e clamou em grande voz aos quatro anjos, aqueles aos quais fora dado fazer dano à terra e ao mar, dizendo: Não danifiqueis nem a terra, nem o mar, nem as árvores, até selarmos na fronte os servos do nosso Deus” Apocalipse 7:1-3.

Pouco antes do selamento do povo de Deus, é apresentada uma cena de anjos segurando os ventos nos quatro cantos do planeta. O selamento trata-se da obra final de Deus no coração humano, onde pelas escolhas que cada ser humano fez, Deus sela seu destino para a Vida Eterna ou Morte Eterna. O selamento é feito mediante a aceitação do Evangelho Eterno.

Embora a mensagem do Apocalipse seja espiritual e suas figuras simbólicas, os ventos e sua ação sobre o planeta também são uma jurisdição Divina. São os anjos que controlam esses elementos naturais seja para o bem ou para o mal das nações que estão sobre a terra.

Uma aplicação direta da mensagem do Apocalipse nos faz pensar o que pode estar acontecendo atrás das cortinas do sobrenatural e do mundo físico, onde os elementos naturais são apenas instrumentos nas mãos do Criador para chamar a atenção dos homens na terra.

São em catástrofes como estas que os homens são despertados para situações que antes ignoravam. Se voltam para Deus em buscas de respostas, e uma comoção social se segue em busca de auxilio e solidariedade.

Deus certamente quer chamar a atenção da nação norte-americana para algo. Os ventos que sopram neste país são um prenuncio de algo grandioso a acontecer no mundo espiritual.

Os mesmos pensamentos deveriam assaltar o coração dos brasileiros que sofrem com as tempestades em seu litoral sul. Os anjos de Deus não podem mais segurar os ventos da sobrenatural ação destruidora do mal sobre os homens impenitentes.

Uma grande obra de selamento esta a se operar no coração dos homens. Após isso o Senhor Jesus se manifestará nos céus em sua Segunda Vinda. Estamos nós prontos? Ou o torpor das coisas do mundo nos adormeceu em um sono da morte espiritual. Os ventos anunciam que é hora de acordarmos para a realidade espiritual que se segue.

VENTOS DE GUERRA

Ventos nas profecias bíblicas são emblemas de comoções, lutas, e guerras entre os povos e nações. “O SENHOR é tardio em irar-se, mas grande em poder e jamais inocenta o culpado; o SENHOR tem o seu caminho na tormenta e na tempestade, e as nuvens são o pó dos seus pés”. Naum 1:3


Os quatro ventos detidos pelos quatros anjos representam todos os elementos de luta e comoção que existem no mundo. "Ao cessarem os anjos de Deus de conter os ventos impetuosos das paixões humanas, ficarão às sôltas todos os elementos de contenda. 0 mundo inteiro se envolvera em ruiria mais terrível do que a que sobreveio a Jerusalém na antiguidade" GC, 614.

Anjos acham-se hoje a refrear os ventos das contendas, para que não soprem antes que o mundo haja sido avisado de sua condenação vindoura; mas, está se formando uma tempestade, prestes a irromper sôbre a terra; e, quando Deus ordenar a Seus anjos que soltem os ventos, haverá uma cena de lutas que nenhuma pena poderá descrever.

A luta do Mundo Ocidental Cristão e das Nações Orientais Islâmicas estão trazendo uma grande tormenta sobre o mundo. As nuvens carregadas pelo ódio estão enegrecendo a vida dos homens com o sangue da violência e da intolerância. Os ventos previstos na profecia, prestes a se soltarem trarão uma tempestade devastadora sobre a humanidade.

As Guerras do Golfo, do Afeganistão, do Iraque e a iminente que contra o Irã, somente são crescentes ventos a desetabilizar a humanidade.

As bandeiras da paz são fictícias, oferecidas pelas nações, uma às outras, não são senão o restringimento dos ventos das lutas de suas paixões políticas detidos pelos quatro anjos. Apenas algumas rajadas sopram da grande tempestade que virá ao soltarem os ventos. Os acontecimentos internacionais falam em alta voz de que se aproxima o momento decisivo em que os ventos serão soltos, e tudo termine num terrível caos.

Simultâneamente com o estrondo da tormenta, ao serem soltos os ventos, virão as sete últimas pragas tremendas preditas no capitulo dezesseis. 0 mundo será convertido num assombroso vale de espanto e de dor por estas pragas.

Mas, a obra dos mensageiros angélicos de segurar os ventos, tormará possível a realização à uma outra obra especial e sublime como descrita nos versículos seguintes. Quando esta obra começar e alcançar o seu têmo, a dos quatro anjos, lógicamente, aIcançará também o seu.

A divina graça por um mundo caído e ingrato a Deus terá se esgotado para sempre. Multidões que receberam o convite da misericórdia estarão excluídas da gratuita salvação que desprezaram, Agora, porém, é o tempo de decisão. E só aquele que fizer a boa escolha, sobreviverá.

UNIÃO DAS RELIGIÕES MONOTEISTAS

Vestindo os trajes de autoridade como “Vicarius Fillis Dei” – substituto do Filho de Deus, o líder católico visitou a Alemanha(2006), e recebeu representantes do Islamismo e do Judaísmo para uma aproximação maior das três religiões monoteístas.

Essa cena (embora não seja essa a interpretação exata) nos faz lembrar a cena apocalíptica – “Então, vi sair da boca do dragão, da boca da besta e da boca do falso profeta três espíritos imundos semelhantes a rãs” Apocalipse 16:13.

Trata-se de um esforço decidido da Igreja Católica, sobre a autoridade da união Européia (Apocalipse 17) em aproximar politicamente, os dogmas e doutrinas de muçulmanos e judeus.

"A Igreja Católica está comprometida, eu reafirmo hoje, com tolerância, respeito, amizade e paz entre os povos, culturas e religiões", afirmou o líder católico.

“O Bispo de Roma acrescentou que as duas religiões monoteístas têm um grande campo de ação para unir-se em defesa dos valores morais fundamentais, como são a dignidade e a defesa dos direitos” (REUTERS).

“O papa acrescentou que as lições do passado devem servir para evitar que as pessoas caiam nos mesmos erros. Bento XVI ainda afirmou: "queremos buscar o caminho da reconciliação e aprender a viver respeitando a identidade de cada um". Ele também exigiu a defesa da liberdade religiosa,o que, para o papa, é uma necessidade constante e o respeito pelas minorias, "um sinal indiscutível de verdadeira civilização" (REUTERS).

O Bispo de Roma ressaltou que a Igreja "olha com estima" os muçulmanos que adoram um único Deus. Ao longo dos séculos, discursou, surgiram "muitas desavenças e inimizades" mas o Sínodo (assembléia que reúne bispos católicos do mundo inteiro) aconselha a todos "que esquecendo o passado, exerçam sinceramente a compressão mútua, defendam e promovam a justiça social, os bens morais, a paz e a liberdade para todos"(REUTERS).

O que os podemos esperar deste cenário político-religioso? Uma união das grandes religiões, pelo menos uma união política e filosófica, devido aos grandes contrastes entre suas crenças; seguida de uma aproximação entre as denominações cristãs protestantes, essas sim sacrificando suas doutrinas em nome da paz mundial, advogada pelo líder católico.

A igreja católica assume cada vez mais o cenário mundial com a postura imperiosa que sempre desejou reconquistar e que lhe foi característica por 1260 anos proféticos. Espera-se não só a ocupação do mesmo espaço político-religioso, mas também a manifestação da mesma intolerância religiosa que atingia a liberdade de consciência e de fé, daqueles que se negavam a aceitar as imposições dogmáticas.

Estamos voltando para a idade média, e a imagem da besta de Apocalipse 13 está por se restaurar.

SINAIS X GUERRAS - Parte 1

“E, certamente, ouvireis falar de guerras e rumores de guerras; vede, não vos assusteis, porque é necessário assim acontecer, mas ainda não é o fim” Mateus 24:6.


As guerras estão entre os sinais deixados por Jesus para o fim do mundo. Já houve muitas batalhas na história humana. Tristemente há guerras que se tornaram memoráveis pela doentia mente humana e fazer das cenas grotescas de um combate, motivo de filmes, livros e arté mesmo arte...

Guerras de ordem continental, locais, políticas mas certamente as I e II Guerras Mundiais foram o máximo da decadência humana. Nosso planeta todo em guerra! Como não nos exterminamos ainda?

Juntos com outros sinais as guerras formam um quadro dos últimos dias que somente podem ser esboçados nos dois últimos séculos (séc. 20 e 21); v. 7 e 8 – “Porquanto se levantará nação contra nação, reino contra reino, e haverá fomes e terremotos em vários lugares; porém tudo isto é o princípio das dores”.

Jesus se referia aos eventos em escalas mundiais, e proporções catastróficas, que só nestes dois últimos séculos foram evidenciados. Porém isto era apenas o início de um período chamado de Fim.

Não houve guerras similares a I e II Guerra mundial, e com eventos tão marcantes como o envolvimento dos principais continentes como na década de 40. A Europa, a América e Ásia estavam em guerra; o antigo mundo estava sob a ameaça de extinção com a Bomba de Plutônio dos EUA. Mas a segura palavra profética nos diz – “ainda não é o fim”.

Os sinais deixados por Jesus nos dão a certeza que estamos a 60 anos, em direção a um Fim cada vez mais eminente. Se em 1945 ainda não era o fim, talvez estejamos agora nos “últimos dias”.

Os últimos sinais que Jesus deixou são os seguintes – “ E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor se esfriará de quase todos.Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo.E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então, virá o fim”. (v. 12 a 14).

Jesus indicou sintomas na sociedade que indicariam esses sinais - iniquidade generalizada e ausência do amor.

A corrupção, o crime e o ódio entre os povos, indicam que dois sinais estão cumpridos.

Por outro lado o cristianismo em seus esforços tem alcançado quase todos os países, através da presença de igrejas, rádio, TV e internet cumprindo a segunda parte das palavras de Jesus - "o evangelho será pregado em todo o mundo, então virá o fim".

Não estamos em um tempo onde “ainda não é o fim”, mas certamente vivemos nos “últimos dias” da história humana.

A pergunta que não se cala, é a seguinte:  estamos preparados para receber o Senhor Jesus nas nuvens do céu?

“Vigiai, pois, a todo tempo, orando, para que possais escapar de todas estas coisas que têm de suceder e estar em pé na presença do Filho do Homem”. Lucas 21:36

GUERRAS X SINAIS

“E, certamente, ouvireis falar de guerras e rumores de guerras; vede, não vos assusteis, porque é necessário assim acontecer, mas ainda não é o fim” Mateus 24:6.


A primeira e a segunda guerra mundial foram eventos grotescos na história da humanidade; as cenas que são reportadas a nós da atualidade nos chocam, e os relatos sobre as atrocidades realizadas nos envergonham.

De Dezembro de 1939 a Setembro de 1945, foram quase 6 anos em que a Europa e parte da Ásia sofreram com as mazelas da guerra.

Alimentado pelo orgulho Nazista, Adolf Hitler, decide fazer de seu povo o dominador do mundo; a exemplo dos antigos imperadores, coloca seu exército contras as nações que o cercam (Polônia, Áustria, França, URSS e Itália) traindo pactos com os soviéticos e italianos, e fazendo um extermínio odiosos dos judeus, por onde quer que passasse .

O mundo ocidental (democracia, capitalismo) começava a desmoronar diante da invasão da França e as ameaças a Inglaterra, quando os EUA decidem se aliar aos ingleses e deter o nazismo que tinha no facismo japonês o seu aliado.

Em Junho de 1944 os Aliados (americanos, ingleses e russos) eram uma força arrasadora sobre os países invadidos por Hitler, libertando Itália, França e os russos invadindo a Alemanha.

O ultimo inimigo eram os japoneses na ásia, que os americanos resolveram exterminar (a exemplo do que Hitler fez com os judeus) com a sua mais nova tecnologia... a bomba de hidrogênio.

Hitler fez experiência horripilantes com os prisioneiros de guerra, e exterminou milhares de judeus de forma desumana.

Os americanos exterminaram quase o mesmo número de japoneses em uma fração de minutos.

O que podemos concluir com essa história?

“Ele (o Deus Eterno) põe termo à guerra até aos confins do mundo, quebra o arco e despedaça a lança; queima os carros no fogo” Salmos 46:9 .

A sabedoria dos homens jamais poderá trazer a paz a terra. As estratégias humanas não conseguirão deter as injustiças e atrocidades. Um mal não pode deter o outro mal; um erro não justifica a outro erro; uma bomba de hidrogênio não justifica o holocausto.

“O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento” Oséias 4:6.

Semelhante situação esta a se desenrolar em nossos dias; o terrorismo excita as nações ocidentais contra os radicais islâmicos. Em breve veremos mais uma atrocidade em nome da liberdade, democracia e da justiça. A guerra no Afeganistão, Iraque e as demais que surgirão, é o inicio de um século que será marcado por atrocidades maiores que a primeira e segunda guerra mundial.

Não é porque estamos no século XXI que somos melhores ou nossa tecnologia irá nos livrar dos mesmos erros – o grande erro (a bomba de hidrogênio) foi um capricho em nome da tecnologia.

Somente uma retorno a Deus, uma busca pelos princípios do Evangelho de Jesus Cristo, é que poderão salvar a Europa dos ataques que novamente vem sofrendo, pelo mesmo espírito de superioridade das raças, que os muçulmanos e americanos possuem.

“Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus; sou exaltado entre as nações, sou exaltado na terra” Salmos 46:10 – é a mensagem que Deus envia a tempo as nações.

“Na verdade, as nações se enfureceram; chegou, porém, a tua ira, e o tempo determinado para serem julgados os mortos, para se dar o galardão aos teus servos, os profetas, aos santos e aos que temem o teu nome, tanto aos pequenos como aos grandes, e para destruíres os que destroem a terra “Apocalipse 11:18.

TERRORISMO NA EUROPA

Essa não foi a primeira vez que a Europa sentiu o furor extremista do Islã.


"E do fumo vieram gafanotos sôbre a, terra; e foi-lhes dado poder, como o poder que têm os escorpiões da terra”. Apocalipse 9:3

É assim que a Bíblia apresenta a visão da ação dos muçulmanos na Europa no 6º século de nossa era.

"Decidido então a propagar a sua fé além das fronteiras da península, o profeta escreveu aos príncipes limitrofes, selando as cartas com um sêlo de prata com a legenda Maomet, apóstolo de Deus. 0 profeta dirigiu terriveis ameaças a quem recusava acreditar nêle.

Em Medina, para onde foi (anos das embaixadas, 630-631), recebeu Maomet: embaixadores de muitos povos; a todos acolheu, impondo como primeira condição dos tratados de aliança a abolição da idolatria. A morte de Maomet o califado ampliou as conquistas impondo a fé do profeta. A conquista árabe alastrou-se como corrente tempestuosa sôbre o Oriente e o Ocidente, em duas vagas imponentes”.

“Jamais o mundo vira um império e uma religião alcançar em tão pouco tempo um tão dilatado território. Kandemir, o historiador persa, resume assim as campanhas de Omar: Tomou aos infiéis 36.000 cidades e castelos, destruiu 4.000 templos ou igrejas, e fundou ou aumentou 1.400 mesquitas.

“Assim, pela imprevisão brusca de suas invasões, Dela prodigiosa rapidez de suas conquistas e pela grande destruição e saque que faziam, assemelhavam deveras os árabes-sarracenos a espêssas nuvens de gafanhotos caindo sôbre o Oriente e o Ocidente, na tentativa de fazer muçulmano o mundo inteiro”. (MELLO, 1959)

“Também da fumaça saíram gafanhotos para a terra; e foi-lhes dado poder como o que têm os escorpiões da terra.” Apocalipse 9:3

O Apocalipse é um livro simbólico por excelência; ele utiliza dois insetos do deserto para representar o povo islâmico no seu ataque ao mundo ocidental. A Europa medieval foi sua primeira vítima.
“A aplicação profético-simbólica é verdadeiramente extraordinária. Enquanto as hordas arábico-serracenas caíam sôbre as nações repentinamente e numerosas como gafanhotos, para saquear e destruir segundo a ordem do profeta, por outro lado, como que possuindo caudas de escorpiões, injetavam pela fôrça o veneno do embuste duma política civil-religiosa que causava mal-estar aos vencidos”. (MELLO, 1959)

É isso que os Muçulmanos tem representado desde que Maomet fundou o Islamismo. Certamente há entre eles o que pregam a paz, mas no fundamento de sua religião (anti-cristã) é que reside o "a fumaça" que subia na figurada cena apocalíptica intoxicando a sociedade ocidental.

Os Radicais Islâmicos são apenas uma amostra do que o proselitismo islâmico pretende para com o mundo moderno. Converter pelo Terror é a sua meta.

Em contraste temos o convite do Cristianismo “ Vinde a Mim (Jesus) todos os que estais cansados e oprimidos e Eu os aliviarei.” Mateus 11:28

O uso da força e da violência é contrário dos princípios do Cristianismo.

Quando o uso da Guerra Religiosa foi usado em nome do cristianismo, isso foi de forma indevida e criminosa, e a Palavra de Deus acusou e condenou essa prática - Daniel 7:25 “Proferirá palavras contra o Altíssimo, magoará os santos do Altíssimo e cuidará em mudar os tempos e a lei; e os santos lhe serão entregues nas mãos, por um tempo, dois tempos e metade de um tempo”.

Essa profecia revela os 1260 anos de Supremacia Papal na Europa, que através do proselitismo forçava com a Guerra e a violência aos homens seguirem seus dogmas. Esse foi o período de apostasia do cristianismo. Não era o cristianismo, mas uma contrafação sua. O cristianismo se levantou novamente com a Reforma Protestante. O protesto era em favor da Paz e da restauração da Verdade.

O Terrorismo, as Guerras Santas, a violência, a imposição da fé religiosa, as Cruzadas, as Inquisições são "operações do erro" a que o apóstolo Paulo já remetia em suas cartas (2 Ts 2:11).

REAGAN E JOÃO PAULO II CONTRA O COMUNISMO (Década de 80)

Apocalipse 13:12 “Exerce (EUA) toda a autoridade da primeira besta (Vaticano) na sua presença. Faz com que a terra e os seus habitantes adorem a primeira besta, cuja ferida mortal fora curada.”

Os esforços conjuntos de EUA e Vaticano contra o ´eixo do mal´, são antigos... desde a década de 80 Reagan e João Paulo II já uniam esforços para que o Cristianismo fosse a Religião soberana no planeta. O ´eixo do mal´ em meados dos anos 80 era o Comunismo, e o empenho de Reagan e de João Paulo II em acabar com a Europa comunista e a antiga URSS, estão documentadas nos links ao lado.

A profecia diz que a postura de perseguir os povos que se opõem a Fé Católica que na Idade Média foi através das Cruzadas, retornaria com o apoio da segunda besta (EUA): “façam uma imagem à besta, àquela que, ferida à espada, sobreviveu;e lhe foi dado comunicar fôlego à imagem da besta”.

A Imagem da besta, se refere ao poder de perseguição que caracterizou a Igreja Católica medieval, e o Papado foi ferido em 1798 quando os Generais de Napoleão prenderam o Papa e fizeram fim ao reinado de 1260 anos de poder sobre a Europa, através da opressão Política e Religiosa.

Os EUA reviveram a ´imagem da primeira besta (vaticano)’ lhe conferido autoridade Militar através da derrubada do Comunismo em 1989 e agora com a tentativa de queda do Islamismo.

Reagan e João Paulo II são os principais responsáveis pela entrada pela queda do Comunismo na Europa na antiga URSS; interesses divididos, objetivos opostos – os EUA interessados na Política e o Vaticano na derrubada do Ateísmo Comunista.

Curiosamente Reagan e João Paulo II subiram ao poder no início da década de 80, e trabalharam juntos durante 8 anos, quando o presidente Norte-Americano terminou seu mandato; o Muro de Berlim foi derrubado um ano depois, em 1989. Em 1981 os dois Líderes sofreram atentados e foram alvejados por tiros; Reagam 30 de Março, e João Paulo II em 13 de Maio do mesmo ano.

UM GIGANTE CHAMADO ARAFAT

Golias era um Palestino antigo( I Samuel 17), um Filisteu e lutava por um Ideal – as Terras Palestinas.


A luta hoje é a mesma a posse da Palestina (o atual estado de Israel) e a ocupação de Jerusalém. Os Israelenses apoiados pelos EUA conseguem se manter nas terras herdadas por Jeová... mas até quando?

Arafat nasceu em 1929 no Cairo (ele afirmava que nascera em Jerusalem); foi um comerciante que fez fortuna no Kuwait e em 1959 se engajou na luta para reaver as Terras do seu povo. Criou a OLP (Organização para Libertação da Palestina) que atuava seqüestrando aviões, e atacando Israel com bombas e terrorismo... “Além do militarismo, Arafat se valeu de estratégias muitas vezes discutíveis para consolidar sua liderança no movimento palestino.

Em nome de sua causa, com freqüência fez uso de ameaças e intimidações para garantir que o poder permanecesse em suas mãos.” (BBC). Mas em 1974 ele se agrega a ONU reinvindicando os direitos de seu povo, e ganha carisma de Líder. A partir daí ele não é mais visto como guerilheiro mas como diplomata, até ao lado do papa...

Depois de tantos anos de diplomacia e ganhar status na política mundial Israel sob força militar restringe os Palestinos e Y.Arafat devido aos grandes eventos terroristas no novo século. Em abril de 2000, seu velho inimigo Ariel Sharon o acusou de instigar o terrorismo nas ruas de Israel e suas tropas atacaram o quartel-general de Arafat. Como Israel controla os sítios Palestinos, Y.Arafat é proibido de sair de Ramalah onde é o quartel general dos Palestinos.

Com 75 anos e debilitado na saúde se tornou um símbolo de resistência (terrorista) e de luta pelos direitos do seu povo. Ganhou status de herói no meio do seu povo, diplomata no meio político, assassino em Israel e suspeito pelos EUA.

G.Bush e T.Blair reuniram-se na Casa Branca após o enterro de Y.Arafat para discutir o destino dos Palestinos; mas ”evitando mencionar o nome do líder palestino morto, Yasser Arafat, os dois líderes deram suas condolências ao povo palestino”. Os dois líderes mundiais não tem dúvida quanto a participação terrorista de Y.Arafat nos ataques a Jerusalém e talvez em outros eventos pelo mundo.

Essa é uma infindável luta entre Israel e os Filisteus, mas agora sem Jeová e fundas... mas com os EUA (a besta de Apoc.13) e mísseis!

QUAL DELES SERÁ O ANTICRISTO?

Muitos crêem que o anticristo será uma figura maligna sobrenatural que surgirá no fim do mundo. Mas a conceituação da Bíblia não apóia a idéia de que seja a figura de uma pessoa. O termo Anticristo só aparece 3 vezes na Bíblia em I João 4:3, I João 2:8, II João 7 e em II Tess.2:3 está indiretamente indicado.


O verdadeiro significado do anticristo como mencionado na Bíblia se refere a qualquer pessoa - possivelmente a qualquer coisa - que se oponha ou tente substituir a Cristo: “e todo espírito que não confessa a Jesus não procede de Deus; pelo contrário este é o espirito do anticristo”. I João 4:3. Notemos que esta passagem conceitua como o ´espírito do anticristo´, não se podendo dizer que seja uma figura única ou mesmo uma instituição.

Ao contrário são todas figuras ou instituições que manifestam esse espírito; e os caracteriza como aqueles que não aceitam a Pessoa de Jesus como um Ser Divino. “Porque já muitos enganadores entraram no mundo, os quais não confessam que Jesus Cristo veio em carne. Este tal é o enganador e o anticristo” II João 2:7. O Apostolo João identifica a muitos Anticristos, já em sua época!

“Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos; por onde conhecemos que é já a última hora” I João 2:8. A afirmação bíblica indica que muitos se fizeram no passado o Anticristo, ou poderão se fazer ainda; isto porque (conforme o cap. 4:3) negam a Jesus. Há muitas instituições religiosas que não aceitam a Jesus como Messias, rejeitam a Divindade de Jesus como Deus Eterno ou criam sistemas para substituir a figura de Jesus aqui na Terra! A Bíblia está certa – "muitos se tem feito anticristo".

A influência do espírito do anticristo tem sido evidente ao longo da história mundial (“também agora muitos se têm feito anticristos”). Não é algo que pertence estritamente ao tempo do fim. O termo em si nunca é usado no Apocalipse, e não tem conexão direta com o número 666 (Apoc.13:18); não se pode dizer que o anticristo é uma figura única ou mesmo uma única instituição. Ao contrário são todas as figuras e instituições que manifestam o espírito do anticristo.

 “Ninguém, de maneira alguma, vos engane, porque não será assim sem que antes venha a apostasia e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição, o qual se opõe e se levanta contra tudo o que se chama Deus ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus”. II Tess. 4:3. A declaração de Paulo identifica a Apostasia ocorrida na Igreja Apostólica como sendo motivada pelo mesmo espírito do Anticristo, com as mesmas características e prerrogativas.

Esse ´mistério´não é simplesmente um tema da era apostólica mas estará em operação contínua desde o tempo Apostólico até o fim. A incessante atividade satânica não nos permite localizar ´o mistério da iniqüidade´ exclusivamente em um período histórico isolado no passado ou no futuro.

A expectativa sobre o anticristo muitas vezes levou as pessoas a concluírem em um ser humano como sendo o Anticristo, mas como notamos na conceituação escriturística da Bíblia, não existe fundamento para essa idéia.

MAREMOTO – POR QUE OCORREM TRAGÉDIAS COMO ESTAS?

“E haverá sinais no sol, e na lua, e nas estrelas, e, na terra, angústia das nações, em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas; homens desmaiando de terror, na expectação das coisas que sobrevirão ao mundo, porquanto os poderes do céu serão abalados”. Lucas 21: 25 e 26.


Em seu discurso sobre o fim de do mundo Jesus foi específico em falar sobre os maremotos – “em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas” – e é assim que estamos PERPLEXOS sobre os acontecimentos que invadem a história final da humanidade.

Em um planeta que ignora a presença divina e segue seu rumo alheio a espiritualidade e caridade, o Destruidor (Satanás) sai pelo planeta a fazer sua obra de destruição. Assim como na história de Jó (cap. 1:7 e 12) é o Destruidor que passeia pela Terra e sai para fazer sua obra de destruição – “Então, o SENHOR disse a Satanás: De onde vens? E Satanás respondeu ao SENHOR e disse: De rodear a terra e passear por ela. (V.12) “E disse o SENHOR a Satanás: Eis que tudo quanto tem está na tua mão; somente contra ele não estendas a tua mão. E Satanás saiu da presença do SENHOR”.

Nosso Planeta se encontra sob a jurisprudência de um ser maligno e assassino, e as convulsões da Natureza são resultados de seu laboratório para destruir a raça humana. Em uma parábola sobre a ação das forças do mal sobre o homem Jesus disse: “O inimigo que o semeou é o diabo; e a ceifa é o fim do mundo; e os ceifeiros são os anjos” Mateus 13:39.

As intempéries, catástrofes, males, doenças, epidemias e morte são semeadas pelo inimigo – “E Jesus lhes disse: Um inimigo é quem fez isso” Mateus 13:28.

No Sermão profético de Mateus 24 e Lucas 21, Jesus alertou sobre as catástrofes do últimos dias – “e haverá, em vários lugares, grandes terremotos, e fomes, e pestilências; haverá também coisas espantosas e grandes sinais do céu” Lucas 21:11.

Não é só Jesus que faz seu sermão profético, mas o inimigo tem sua apologia do fim; ao exibir nas telas do cinema cenas de destruição; no filme “O Dia Depois De Amanhã”, cenas das águas arrastando as pessoas eram mostradas por todo o mundo, e os pobres humanos pagavam para ver seu futuro exibido nas telas...

“porque não temos que lutar contra carne e sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais” Efésios 6:12.

As ‘hostes espirituais da maldade’ estão furiosas nestes últimos dias, e irão jogar Deus contra os homens; farão as catástrofes parecerem ser a ação divina sobre o homem, e que Deus é um tirano. Mas o próprio Deus declara – “Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança, nem sombra de variação” Tiago 1:17. Nosso Deus é um Pai de amor e sua solução é um Planeta livre do pecado e por fim restaurado.

Por outro lado, existe o inimigo, Satanás o destruidor – ‘Ai dos que habitam na terra e no mar! Porque o diabo desceu a vós e tem grande ira, sabendo que já tem pouco tempo” Apocalipse 12:12.

Sim, o momento do destruidor é de grande ira!!! As catástrofes preditas por Jesus, e os sinais do Apocalipse se cumpriram um por um!!! Mas uma promessa é nos deixada – “E Deus limpará de seus olhos toda lágrima, e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor, porque já as primeiras coisas são passadas” Apocalipse 21:3.

E haverá sinais no sol, e na lua, e nas estrelas, e, na terra, angústia das nações, em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas;homens desmaiando de terror, na expectação das coisas que sobrevirão ao mundo, porquanto os poderes do céu serão abalados.E, então, verão vir o Filho do Homem numa nuvem, com poder e grande glória” Lucas 21: 25-27.

“Assim também vós, quando virdes acontecer essas coisas, sabei que o Reino de Deus está perto” Lucas 21:31